terça-feira, 15 de abril de 2014

Críticas ao feminismo


Antes de começar o post em si, vamos dividir o feminismo em dois: o feminismo ortodoxo, que é o feminismo que busca a igualdade entre homens e mulheres – e o feminismo pragmático (também apelidado de feminismo new wave), que é aquele que faz uma interpretação subjetiva do feminismo ortodoxo para colocá-lo em prática. Não tenho qualquer crítica ao feminismo ortodoxo, porque ele é justo e necessário. Há até um teste para saber se você é um(a) feminista ortodoxa. Contudo, a minha crítica neste post vai inteiramente para o feminismo pragmático por uma razão muito simples: porque ele perde o rumo em meio a suas reivindicações controversas. E todo movimento sem rumo tende ao fanatismo, à histeria e à confusão.

Considerações iniciais
Preste bem atenção: não estou dizendo aqui como as mulheres devem atuar no feminismo, estou apenas propondo uma reflexão. As mulheres é que devem protagonizar e liderar o movimento feminista. Portanto, se alguém vier nos comentários dizer que minhas críticas são uma "cagação de regra", por favor, volte para a alfabetização. Se você não sabe ouvir críticas ao seu movimento, me desculpa a sinceridade, mas você é um(a) fundamentalista. Isso porque todo fanático toma qualquer crítica à sua ideologia como se ela fosse uma ofensa pessoal. Aprenda de uma vez por todas que não é porque a sua causa é justa que ela está imune a críticas. E as críticas que eu vou fazer são para o bem do próprio feminismo, para que ele não vire extremista e torne-se motivo de deboche, como já dizia um filósofo conservador:

 

"Daqui a uns séculos vão ver nossa época como a época da histeria feminina sem limites". 
(Luiz Felipe Pondé)




Críticas ao feminismo pragmático
A seguir, eu elaborei uma lista com 14 críticas específicas. Algumas delas são bem clichê, mas há outras que é preciso um pouco de sensibilidade para perceber que são construtivas. Pois bem, então vamos começar pela mais recorrente das críticas:

1) Igualdade, sim: mas só para o que as interessa
Feministas? Onde?
Você já viu alguma feminista brigar pelo direito de trabalhar em minas de carvão ou em trabalhos perigosos? Você já viu alguma feminista brigar pelo direito de pagar o mesmo valor de seguro de automóveis que os homens? Já viu alguma feminista lutar pelo fim do machismo nas Forças Armadas? Já viu alguma feminista brigar para que homens e mulheres tenham o mesmo tempo de licença após o nascimento dos filhos? Já viu alguma feminista protestar pelo fim do cavalheirismo? Já viu alguma feminista exigir tempo igual de aposentadoria para homens e mulheres? Já viu alguma feminista lutar para que homens e mulheres sejam condenados ao mesmo tempo de pena para o mesmo crime? Sim, eu já vi algumas feministas fazendo essas coisas todas que citei, mas elas são uma minoria quase desprezível.
Se a proposta é igualdade, então temos que aprender a abrir mão de certos privilégios. Do contrário, homens continuarão sobrecarregados de tarefas "masculinas" e mulheres sobrecarregadas de tarefas "femininas". Se é para abolir o sexismo e as desigualdades de gênero, então vamos ser coerentes.

2) Negar a violência da mulher contra o homem
Sim: muitos homens apanham de suas mulheres. E não: isso não tem a menor graça. Violência não tem graça nenhuma. E se você acha que as mulheres batem só com soquinhos e pontapés, me desculpa, mas você precisa se informar. As mulheres usam a chantagem para poder agredir os seus companheiros e saírem impunes de suas agressões físicas e verbais. E quando elas batem, usam panelas, vassouras, cinzeiros, pedras, talheres, cadeiras, mesas, estantes, louças, vasos e até armas brancas. E o homem que apanha não denuncia a companheira por vergonha, e, se revidarem, serão enquadrados pela Lei Maria da Penha, que só protege as mulheres. E, em casos extremos, homens são mutilados genitalmente por vingança, virando motivo de piada no programa do Alborghetti.

3) Considerar a linguagem uma forma de opressão
Poucas coisas são tão ridículas quanto escrever palavras com aqueles "X" no final para denotar gênero "neutro" ou para não colocar o plural no masculino. Fora a sem-noçãozice de usar os substantivos comum de dois gêneros com um "a" no final, como na palavra 'presidentA'. Eu até concordo que as linguagens evoluem, mas considerá-las uma forma de sexismo me faz lembrar aquela frase do Luiz Pondé lá em cima.

4) Considerar a heterossexualidade uma forma de opressão
Não é porque você é a favor da criminalização da homofobia que vai virar uma heterofóbica. Tem muitas feministas por aí que atacam outras mulheres heterossexuais, acusando-as de "perpetuarem o patriarcado" e de "erotizarem a própria opressão". Ainda bem que as mães dessas feministas insanas discordavam delas... ou melhor: que pena que não concordavam, pois assim idiotas como elas não teriam nascido para dizer tanta besteira. E se você duvida disso, procure conhecer feministas como Andrea Dworkin, Catherine MacKinnon, Sheila Jeffrys e outras radicais. Este documento mostra que o RadFem (Radical Feminism) não está para brincadeira neste aspecto.

5) Misturar o feminismo com outros movimentos
Eu tenho visto numa frequência cada vez maior feministas associando o machismo ao especismo, o veganismo ao feminismo e a onivoria ao patriarcado. E o pior é que essas feministas-veganas tendem a atacar outras feministas acusando-as de não serem "feministas de verdade" (a velha falácia do escocês). Feminismo é a luta por direitos iguais, apenas isso. Querer forçar todas as feministas a serem vegetarianas acusando-as de traidoras caso elas não parem de comer carne é de uma estupidez colossal. O mesmo vale para outras ideologias, como o socialismo, o ateísmo ou mesmo o niilismo.

6) Achar que o machismo está apenas no homem
O que tem de mulher machista neste mundo não é brincadeira. Só quem já foi xingada de piranha, vadia e biscate por outra mulher entende o que eu quero dizer. E muitas são machistas conscientes, pois adoram o cavalheirismo e também adoram ser sustentadas pelos seus maridos. Isso sem mencionar as conservadoras, como a falecida Margaret Thatcher, que têm uma verdadeira aversão ao feminismo. Nunca iremos eliminar o machismo do mundo enquanto não tivermos a consciência de que esse comportamento está presente não apenas em homens, mas também em mulheres.

7) Achar que só os homens estupram
As feministas radicais adoram dizer por aí que todo homem é um estuprador em potencial. Mas o que elas têm a dizer de mulheres que estupram outras mulheres nas cadeias, que estupram crianças ou que estupram até mesmo homens? A imensa maioria desses casos não é denunciada porque ninguém leva a sério um estupro cometido por uma mulher, exatamente porque a sociedade é machista e sempre coloca a mulher como frágil demais para cometer um crime tão hediondo. Sei...

8) Achar que só os homens são pervertidos
Se você acha que toda mulher é santa, pura e casta, acho bom rever seus conceitos. Assista este vídeo onde as mulheres ficam olhando com segundas intenções para o pênis de um homem por baixo da calça dele num metrô para entender o que eu estou dizendo.

9) Confundir feminismo com revanchismo
Feminismo NÃO é vingança pelos crimes cometidos pelo patriarcado: feminismo é a busca pela igualdade entre os gêneros, ponto. Somente as feminazis confundem essas duas linhas de pensamento.

10) Achar que criticar o feminismo é sempre uma forma de machismo
Se este post não servir de exemplo, então nada mais vai servir.

11) Querer virar homens (inverter valores)
Querer ter direitos iguais não é a mesma coisa de repetir as bobagens sexistas que os homens fazem. Querer que as mulheres sejam duronas, que neguem seus sentimentos, que sejam desleixadas com a própria aparência, que sejam negligentes com a própria saúde, que virem workaholics, que provem toda hora que são corajosas ou que sejam avaliadas apenas pelo seu desempenho profissional e sexual é uma forma burra de buscar a igualdade. Todos devem ser livres para fazer o que quiser sem imposições de padrões normativos de gênero. Não precisa deixar de ser feminina para ser feminista.

12) Achar que toda objetificação é ruim
Por favor, leia este post e compreenda de uma vez por todas porque ser objetificada aumenta o poder de atração de uma mulher e também as chances dela conquistar os homens que ela deseja. Objetificar é natural. O que não é natural é fazer campanhas ridículas querendo censurar peito e bunda na tevê por achar que isso é objetificação sexual da mulher e que mulheres não são mercadoria para serem "consumidas".

13) Perder a noção do ridículo
A  maior prova que o feminismo ortodoxo virou platônico é quando vemos algumas feministas reclamando da cor do Kinder Ovo ou de pictogramas clássicos nas portas dos banheiros masculino e feminino. Além da tragicômica da Anita Sarkeesian vir com o teste de Bechdel até para jogos de videogames, temos que aturar gritos de censura contra livros, filmes, novelas e até material escolar. Às vezes a coisa fica tão paranoica e tão conspiranoica, que até o mestre dos bitolados, Olavo de Carvalho, ficaria com inveja de tanta paranoia.

14) Achar que direitos iguais é "iuzomismo"
Antes de me pedirem para enxugar as minhas "male tears", perguntem-se a si mesmas se vocês já ouviram falar de transexualidade. Se você despreza a opinião dos homens apenas porque eles têm um pênis, você está sendo transfóbica sem perceber. Se os homens querem, por exemplo, ter o direito de usar saia igual às mulheres, qual é o problema? Afinal, as mulheres também não lutaram pelo direito de usar calças compridas? Veja bem: não estou dizendo que as mulheres devem lutar pelos direitos dos homens, mas devem evitar refutá-los por considerá-los "mimimi do opressor" ou "mansplaining". Afinal, o machismo também é ruim para os homens. Não se pode mudar o mundo enxergando metade da humanidade como sendo opressora e inimiga. Se não sabe dialogar com os supostos "opressores", então o machismo jamais vai cair. Lembrem-se, crianças: o sexismo é ruim para todo mundo, sejam homens ou mulheres.

"O problema do feminismo é que ele parte do pressuposto de que as mulheres são frágeis, passivas, vítimas e precisam de um movimento para protegê-las. Eu não preciso de seguir ideologias como se fosse uma ovelha adestrada, porque eu crio as minhas próprias regras. Igualdade se conquista com atitude, e não com chororô. Sou mulher, sou forte, sou ativa e lutarei pelos meus direitos até o fim. Nenhum homem e nenhuma mulher devem me dizer o que fazer."
(autora desconhecida)

Se a sua reação depois de ler este post for esta:

Desculpa, mas você precisa enxergar o mundo sem as suas lentes cor-de-rosa.

PS: Esta postagem tem uma complementação neste link onde eu esclareço melhor sobre alguns pontos pendentes apresentados aqui.

25 comentários:

  1. Olá. Gostaria de fazer algumas considerações sobre suas críticas. Espero que não me entenda mal.

    1 - Tudo que você citou é reflexo do próprio machismo. A mulher e impedida de trabalhar em funções perigosas por ser considerada fraca e incapaz. Sobre a questão do machismo nas forças armadas, há uma luta bastante ampla na América, país onde as forças armadas são mais abertas ás mulheres mas há um índice astronômico de estupros e violações, e poucos são punidos pela justiça. A questão do alistamento obrigatório é causa dos próprios homens, já que são eles que sofrem com isso e foram os próprios que criaram. O movimento feminista não pode falar pelos outros.
    E sim, quase toda feminista que conheço ou já vi luta contra o cavalheirismo, por ser um machismo travestido de benevolência.
    As feministas são contra tarefas de gênero socialmente constituídas.

    2 - Acredito que esse tipo de violência seja menor e menos provável. As próprias estatísticas comprovam isso. Mas sem dúvida alguma, existe sim violência da mulher contra o homem. E como você disse no seu texto, a testosterona por si só não torna ninguém agressivo, e golpes de mulheres podem doer sim. Quem pensa o contrário, é sexista.
    Mas como disse, o feminismo é um grupo que luta pelo direito e bem-estar das mulheres. Não faria sentido o movimento negro lutar pelo direito dos brancos, não é? Mesma coisa vale pro feminismo.

    4 - Acredito que essas extremistas não representam todo movimento, afinal, existem várias feministas heterossexuais também.

    5 - Isso ai é um erro gravíssimo. E confesso: da primeira vez que vi esse feminismo veganista, não pude fazer outra coisa, a não ser rir.

    6 - Concordo, mas não podemos culpar as mulheres pelo machismo. A mulher reproduz o machismo em nome da aceitação social, mas ela não criou o mesmo. Temos que conscientiza-las e sensibiliza-las a esse tipo de problema.

    7 - Sim, mas a imensa e disparada maioria de casos de estupros são contra mulheres, justamente porque ela cresce pensando ser uma vulnerável e fracassada que pode ser tocada quando o homem bem quiser.

    8 - Não existem pessoas santas. Todos gostamos de sexo, e TODOS admiramos a beleza de uma pessoa atraente. Já vi algumas feministas que negam isso, e achei bastante patético.
    Mas claro, admiração tem limites. Olhares constrangedores na rua ou bisbilhotagem são coisas desconfortáveis que violam o espaço da pessoa.

    9 - Concordo INTEIRAMENTE com você. A mentalidade revanchista, na minha sincera opinião, é fruto da falta de consciência política ativa que tem permeado o feminismo, já que o único critério sólido para ingressar no movimento é ser mulher e mais nada.
    Uma pessoa que busca vingança nos hemisférios sociais é privada de conhecimento sobre o que significa justiça, direitos e melhoras.

    10 - kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    11 - Ser homem não é ser durão, ou negar sentimento. Isso foi um comportamento construído pela mentalidade patriarcal. Da mesma forma, ser mulher não é ser frágil ou emocional. Não existe "feminino" ou "masculino". Existem seres-humanos cujas características pessoais variam. A mulher deve ser quem ela quiser.

    12 - Essa é a luta que eu mais me empenho quando me oponho ou faço críticas a certos posicionamentos do movimento feminista.
    Acho algumas ideias de objetificação muito moralistas.
    Acho isso interessante, pois quando debato com elas, algumas dizem: "você é homem, não pode opinar." Eu respondo com: "posso opinar sobre o que EU QUISER. Meu direito de liberdade de expressão é garantido e não abro mão dele."
    Não quero diminuir a causa do feminismo, mas apontar coisas com as quais eu não concordo. Nenhum movimento está imune á crítica. E se houver moralismo conservadorista, não importa em que movimento, eu irei combatê-lo. Não gostou? Chore e esperneie.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite.

      Fico feliz em receber críticas bem fundamentadas e educadas, obrigado.
      Infelizmente não tenho tempo para comentar cada tópico do seu comentário, mas concordo com grande parte das suas considerações. Suas palavras, inclusive, serviram de ótimo complemento para o post.

      Devido a alguns pontos não muito claros nesta postagem, escrevi um post complementando-a neste link.

      Obrigado pela sua participação e volte sempre.

      Excluir
    2. Gostei muito da contra argumentação. gostaria so de falar de uns pontos: 6- PAra alem do encaixe social, entendo quehá um aproveitamento, passivo ou ativo, dos beneficios de ser mulher nesse esquema machista que é muito aproveitado tambem. no 8-Tem demais memso, mas de certa forma acho que é um tipo de reflexo ou face oposta da moeda para o item 1, no sentido, por exemplo do embrutecimento dos trabalhos de homem e altos indices de morte dele. ( o que m e deixa quase que encaixado no item 14 rs). Fica meu AMEM no 9 e no 12 item ^^.

      Obrigado pela fala anonim@

      Excluir
    3. O teu sexto argumento é bem equivocado. Não creio que uma mulher não possa concordar com o machismo se não for como uma forma de encaixe social.

      Excluir
    4. Dar lugar no ONIBUS pra uma feminista e jogar CAVALHERISMO fora por que feminista so serve na SOCIEDADE para transr com latrocidas , elas negligencia sexo e os machistas deveriam negligenciar ate o acemdo no onibus.

      Excluir
    5. O movimento feminista luta pelos direito de negros ladroes e nao de negros trabalhadores e HONESTO abra os olhos sociedade antes de sua casa ser roubada, aparencia de MANSA e feroz como o diabo.

      Excluir
    6. SEu direito de liberdade de expressao e garantido ateas feminista nao atinjir o estado POLITICO e LEGISLATIVO ou seja abriu a boca e cadeia

      Excluir
  2. Bom texto, com grandes acertos, mas um erro: colocar culpa no machismo. Machismo não existe. O que existe é sexismo - um livro muito bom sobre isso, e que demonstra sobejamente o quanto é absurdo a tese de que a nossa sociedade é machista assim com também essa crença prejudica a ambos o sexos é Mito do Poder Masculino, do Warren Farrell, leitura ESSENCIAL. Mas enquanto isso, sugiro esse vídeo. Um abraço.https://www.youtube.com/watch?v=aNP94TQru38

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No meu vocabulário, a palavra 'sexismo' é um hiperônimo que abrange tanto o machismo quanto o femismo. Eu coloquei o termo 'machismo' porque ele é o mais recorrente e predominante. Não conhecia esse livro, mas vou procurar dar uma lida nele. Já o vídeo, eu já conhecia, achei a crítica pertinente, ainda que eu discorde em alguns pontos.

      Excluir
  3. A crença que a sociedade é machista é tao enraizada na nossa psique, que é dificil pensar fora dela. Pensamos um pouco: se vivessmos de fato em uma sociedade machista, nao exitiriam regras sociais como o homem pedir a mulher em casamento ajoelhado ( o que o poe numa posicao de inferioridade) e "primeiro as damas". Ótima entrevista com Farell http://www.xr.pro.br/ENSAIOS/Warren_Farrell.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só lembrando que "pedir em casamento ajoelhado" e o "primeiro as damas" são regras do cavalheirismo que , como alguém comentou aqui, nada mais é do que o machismo disfarçado de benevolência. Sim, o feminismo luta contra essas regras de comportamento imposto a cada gênero.

      Excluir
    2. Esta um pouco equivocada querida. Benevolencia e que mantem as relacoes e quando se ama e pede alguem em casamento dessa forma , nao ha nada demais.

      Excluir
    3. A MIDIA tem colocado isso na sociedade , voce faz um carinho pra ela (conserta o telgado da casa dela por exemplo) e nao pode fazer sexo com ela ai chega um Latrocida (ladrao que ropuba carro e arrasta BEBES pelas ruas do rio de Janeiro por exemplo) este personagem CHAmpinha da vida da um LSD para ela e ela transa ALEGREMENTE e os manginas aplaldindo alegremente os "MaNOS" a sim o mangina e aquele vizinho charo que so presta pra fazer vc carregar armarios nas costas e dar tapas nas costas se vc e VITIMA das feministas procure ficar com os machistas e tome cuidado com a MIDIA da TV

      Excluir
  4. Quanto À resposta acima: nao existe estatística alguma que demonstre que a violencia do homem contra a mulher é superior à da mulher contra o homem.

    ResponderExcluir
  5. Ainda sobre os comentarios acima: a mulher nao é impedida da trabalhar em profissoes de risco por ser considerada fraca, mas sim, porque a vida do homem é considerada dispensável. Karen Straughan abordou bem o assunto, mas sobre isso, sugiro o livro de biologia A Rainha Vermelha, assim como, novamente Farrell. A ideia do cavalheirosmo ser "machismo"`é absurda e rebatida aqui : http://br.avoiceformen.com/recomendados/cavalheirismo-e-sexismo/. Para quem acha a entrevista com Farrell longa, vou colar uma parte fundamental: "or meio da escravidão, os negros eram forçados a arriscar suas vidas em plantações de algodão para que brancos se beneficiassem economicamente enquanto os negros morriam prematuramente. Os homens eram forçados, por meio da conscrição, a arriscar suas vidas no campo de batalha para que todos os outros pudessem se beneficiar economicamente enquanto os homens morriam prematuramente. Tanto os escravos quanto os homens morreram para fazer do mundo um lugar seguro para a liberdade - liberdade de outros.

    Os filhos dos escravos eram tomadas contra a vontade destes; os filhos dos homens também são tomados deles contra a vontade deles. Até hoje, dizemos à mulheres que elas têm o direito a ter filhos e dizemos aos homens que eles têm que lutar pelos filhos.

    Os negros eram forçados, por meio da escravidão, aos trabalhos mais insalubres da sociedade. Os homens, por meio da socialização, são forçados aos trabalhos mais insalubres. Tanto os escravos quanto os homens costumavam constituir quase 100% das "profissões mortais". Os homens ainda constituem.

    Quando os escravos desocupavam seus assentos para brancos, chamávamos aquilo de subserviência. Quando os homens desocupam seus assentos para mulheres, chamamos isso de cortesia. De forma parecida, considerávamos um símbolo de subserviência o ato dos escravos de se levantarem quando o mestre deles adentrava no ambiente; mas para os homens, levantar-se quando uma mulher chega é símbolo de boa educação.

    Os negros são mais suscetíveis a não terem um lar; Os homens são mais suscetíveis do que as mulheres a não terem um lar. Os negros são mais suscetíveis a serem presos que os brancos; os homens são 20 vezes mais suscetíveis a serem presos que as mulheres. Os negros morrem 6 anos antes do que os brancos; os homens morrem 7 anos antes do que as mulheres. Os negros têm menor probabilidade de cursarem uma graduação. Os homens têm menor probabilidade de irem para a faculdade (46% a 54%) ou de se graduarem.

    O Apartheid forçou os negros a trabalhar em minas de diamantes para os brancos; a sociedade espera que os homens arranjem diferentes empregos para pagar por diamantes para as mulheres. Nunca na história houve uma classe dominante que trabalhasse para obter diamantes para dar para um grupo que pudesse se esquivar ao se entitular de oprimidos (mesmo quando aceitassem os diamantes).

    Há maior probabilidade de que negros sejam vonluntários na guerra do que brancos, com a esperança de ganhar dinheiro e desenvolver habilidades; há maior probabilidade de que homens sejam voluntários na guerra do que mulheres, pelos mesmos motivos. Os negros são mais suscetíveis do que os brancos a submeterem-se aos maltratos infantis do boxe e do futebol, com a esperança de conseguir dinheiro, respeito e amor; homens são mais suscetíveis do que mulheres a se sujeitarem aos maltratos infantis do boxe e do futebol, com as mesmas expectativas.

    Seria difícil encontrar um único exemplo histórico em que um grupo que detenha mais de 50% dos votos tenha se esquivar ao se entitularem de vítimas. Ou um exemplo de um grupo oprimido que escolha votar mais em seus "opressores" para a liderança do que nos próprios membros. As mulheres são a única minoria que é uma maioria, o único grupo que se intitula de "oprimido" que é capaz de controlar quem é eleito para cada gabinete em praticamente todo o país. O poder não é de quem é eleito, o poder é de quem elege. Negros, irlandeses e judeus nunca detiveram mais do que 50% do poder de voto nos EUA.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem interessante esse ponto de vista. O fato é que biologicamente, a vida de uma mulher é mais 'cara' que a de um homem. Primeiro porque nascem mais homens, segundo que o custo biológico de uma gravidez é muito alto e terceiro que um único homem pode fecundar muitas mulheres. Os homens que controlam o sistema sacaram isso e passaram a criar regras que mantenham esse parâmetro natural. Tanto é que em guerras nunca são os membros da elite que vão morrer no conflito: são sempre homens pobres, negros ou menos privilegiados. Como eu já havia imaginado, o sexismo é ruim para todos, sejam homens ou mulheres.

      Grato pela sua participação.

      Excluir
    2. Sim, a vida dos valem menos em comparação da vida da mulher. Mas vejam só, isso não impede que ela sofra violência,estupro e que seja morta pelo próprio marido. Há ainda países (índia e china) que fazem aborto seletivo de meninas, que se nada for feito vai culminar na sua própria destruição, porque não é necessário ter muitos homens em uma sociedade, nem mesmo o homem fisico, mas apenas o espermatozoide, o contrário não. Não existe civilização sem mulher.

      Excluir
    3. A MIDIA tem endemonizado o TRABALHADOR BRAcAL e samtificado mulhres sem escrupulos no intuito de poder POLITICO e estatus dinheiro e poder , a midia nao coloca comida na tua mesa quem coloca e o AMIGO MACHISTA a midia nao ajuda vc quando sua agua e cortada e sim op vizinho MACHISTA ela so manipula o povo , não de credito ao Jornaleco lixo se nao vc vai para na cadei com um CHIP enfiado na bunda e ctrabalahra forçado para alimentar e ELITE IOPRESSORA ESCRAVAGISTA ,
      pesquise no google sobre mafia esquerdopata e vera a real que o JORNALECO LIXOda TV nao mostra "a televisao me deixou burro muito burro demais letras de uma musica que fala a verdade"

      Excluir
  6. Meu nome é Melissa. Já vi sim mulheres lutando contra o cavalheirismo, mais de uma, sem considerar a mim mesma.

    ResponderExcluir
  7. Olá, vendo o post constatei que de fato me considero uma feminista ortodoxa. E Só. Penso na igualdade dos seres humanos sem me lembrar que são homens e mulheres. A igualdade formal. E quanto ao papel do homem e da mulher, quanto às diferenças, e às desigualdades práticas, elas existem sim. Isso é evidente. A estrutura física, psicológica da mulher difere em muito da do homem. Entendo que as pessoas esquecem, por vezes de que há sim uma grande diferença... A força, o vigor, a energia, o metabolismo é naturalmente e organicamente diferente. Acredito que a mulher tem um papel diferente a desenvolver na sociedade... o cérebro da mulher é diferente do do homem e isso não é em vão. Nos compensamos. Um comentário um tanto subjetivo, mas no fundo, o que penso é que ninguém é melhor ou pior do que ninguém... e respeito é tudo. Agora ficar tentando medir forças ou comparações, acho burrice. Não tem o que comparar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Finalmente um mulher que se prese , existe diferenças gigantes na parte sexistas mulher pra obter sexo basta ir a um barzinho por exemplo e ficar simpatica e mais liberal e ai os homens vem e ainda pagar a conta , porem os machista isso nao acontece a na hora da busca pelo sexo tem que ter status dinheiro ou ser um mafioso de muito status no caso de homens negros e pobre sao excluido da IGUALDADE FEMINISTA , os da Elite Escravagistas e mafiosos e que se benefiam com a ideologia FEMINISTA desta forma homens pobres cometem crimes sexuais e sao punidos de forma SATANICA , o racismo Impera no meio da ideologia femini sta .

      Excluir
  8. muito bom, faltam reflexões como essa. só discordo do item 3, o famoso "prezdx" me parece justo.

    ResponderExcluir
  9. Gostei estou lendo tudo

    ResponderExcluir