segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Protestos contra o casamento gay


Justo na semana em que eu estou me dedicando para escrever uma postagem falando sobre os aspectos positivos das religiões, eis que abro o jornal e vejo uma notícia que quase me fez arrancar os cabelos. Olha qual foi:


Após as declarações da Sua Santidade, o Papa Bento XVI, se posicionando contra o casamento entre pessoas do mesmo sexo, eu esperava que a direita moralista e os cristãos seguissem a mesma linha – e não foi diferente: mais de 300 mil pessoas foram às ruas de Paris só para protestar contra o casamento gay. E o principal argumento desse grupo de manifestantes foi que "O casamento gay não faz sentido porque uma criança deve nascer de um homem e uma mulher". A um argumento como esse, só me restam aplausos (irônicos, claro).

Palmas para os moralistas

A primeira coisa que eu me pergunto é: o que diabos esses manifestantes têm a ver com a vida dos outros? Se duas pessoas adultas do mesmo sexo querem se casar entre si, o que o resto da humanidade tem a ver com isso? Como eu disse com todas as letras num dos melhores posts deste blog, o União Homoafetiva, o amor não tem sexo! E, por consequência, para quem acredita, almas também não têm sexo.
Outro aspecto fundamental é que pai ou mãe NÃO é quem faz a criança. Pais são aqueles que cuidam das crianças, que educam as crianças e que as preparam para a vida! Tem um monte de heterossexuais que fazem filhos a esmo e depois querem abortá-los, jogá-los em latas de lixo, abandoná-los nas ruas, entregá-los para orfanatos... É esse amor que os heterossexuais têm para dar aos seus filhos "verdadeiros" (vulgo biológicos)?
O que faz alguém ser uma mãe ou um pai de verdade é o amor que eles dão aos seus filhos! Fazer filhos, qualquer troglodita com mais neurônios que uma samambaia de plástico é capaz de fazer. Eu quero ver quem é capaz de cuidar, de dar carinho, de amar, de ensinar, de proteger...
Pelo visto, esses moralistas preferem ver crianças morrendo de fome, de frio e abandonadas nas ruas, do que vê-las acolhidas num lar por pessoas que as amem de todo o coração. Viva a hipocrisia!

Carta da garota americana que sofreu bullying por ter pais homossexuais, respondida por Obama.

O que eu não consigo entender de jeito nenhum é que possivelmente a França deve ter problemas de verdade e as pessoas se limitam a protestar contra coisas inofensivas que sequer afetam as suas vidas. Aliás, esses manifestantes não têm nada a ver com o casamento homoafetivo, porque eles nem gays são.
E como não poderia deixar de ser diferente, mais uma vez a religião aparece atrasando a sociedade com os seus conceitos anacrônicos estabelecidos na Idade do Bronze. Afinal, boa parte desses manifestos se baseiam em dogmas, preconceitos e argumentos religiosos da pior espécie (como o argumento do Adão e Ivo, por exemplo) para justificarem seus protestos.

Eita desgraça, vou tentar arrumar inspiração para escrever o próximo post...

Ah, não gostou?

Então beija a minha bunda!
Rarará!

Mais informações em:

2 comentários:

  1. Todos temos direitos de argumentar as nossas opiniões, mas devemos ter respeito pela dos outros. O seu post devia ser denunciado pela linguagem. Aprenda a ser um cidadão que respeite os outros!!

    ResponderExcluir