quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

Tragédias nas igrejas


A cada dia que passa eu encontro mais motivos para não crer nos deuses teístas, especialmente no deus judaico-cristão. Uma das razões para isso é que esse deus não protege nem os seus próprios fiéis dentro dos seus próprios templos. A seguir, algumas tragédias ocorridas em templos religiosos:


Ao menos 16 pessoas morreram e 120 ficaram feridas ao tentar entrar em um estádio superlotado de Luanda, capital de Angola, para uma vigília evangélica organizada pela Igreja Universal do Reino de Deus para comemorar a virada do ano. Vítimas morreram esmagadas e asfixiadas em portão do evento.


Zilda Arns Neumann, coordenadora internacional da Pastoral da Criança, morreu no terremoto no Haiti, ocorrido no dia 12 de janeiro de 2010. Tanto ela quanto outros religiosos morreram soterrados numa igreja em Porto Príncipe após o violento terremoto que devastou a cidade.


O austríaco Gunther Link, um católico devoto de 45 anos, escapou da morte quando ficou preso em um elevador. Em seguida, foi a uma igreja agradecer a Deus, mas o altar de pedra caiu sobre ele e o matou, segundo o jornal britânico "Telegraph".


Vinte e cinco pessoas morreram e 590 ficaram feridas na madrugada do dia 5 de setembro de 1998, quando parte do telhado do templo da Igreja Universal do Reino de Deus, no centro de Osasco, na Grande São Paulo, desabou sobre uma platéia de 1.300 fiéis. Mais da metade da área, de 900 metros quadrados, foi atingida por toneladas de vigas e telhas de amianto, que desceram de uma altura de 10 metros.


Um homem de 46 anos morreu após o telhado de uma igreja desabar em cima do carro dele, em Ribeirão das Neves, na Região Metropolitana de Belo Horizonte.

E aí eu me pergunto: cadê esse deus?


2 comentários:

  1. Normal...Se a fé remove montanhas, porque a iniquidade não derrubaria igrejas?

    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É por isso que eu acho que o pensamento religioso não faz sentido nenhum. E aí que vem um religioso e solta aquela velha frase para explicar tais tragédias: "Os desígnios de Deus são misteriosos". Daí eu respondo: 'Aham, Cláudia, senta lá!'

      Abraço.

      Excluir