sexta-feira, 11 de setembro de 2015

O capitalismo é o sistema mais desumano que existe


Primeiramente, vamos aos fatos: o que gera riqueza em um sistema é o trabalho: todo o resto é exploração, ganância, especulação, corrupção ou parasitismo. Em resumo: o trabalho é a real medida de riqueza. Se alguém está ficando rico sem trabalhar, este enriquecimento, obviamente, não está vindo do nada: a riqueza de quem não trabalha está vindo do esforço dos que estão trabalhando. Para uma pessoa ficar cada vez mais rica sem trabalhar é preciso haver uma distorção no sistema. E como no capitalismo distorções como essa são bastante recorrentes, então praticamente só é possível enriquecer nele de maneiras que não priorizam o trabalho, tais como: aplicações financeiras, especulações, aluguéis, dividendos, ações, corrupção, heranças, loteria, manipulação do sistema ou, claro, através da exploração da mão de obra dos trabalhadores. Com juros altíssimos e taxação mínima, esses verdadeiros "donos do capital" ficam cada vez mais ricos a cada ano que passa, fazendo dinheiro "do nada" sem trabalho, sem esforço e sem contribuir para o país. A renda reunida desses ricos, só no Brasil, chega na casa dos trilhões de reais. Aí eu te pergunto: será que é justo que esse pequeno grupo de ricos (composto por menos de 1% da população), que não trabalha, concentre 50% da riqueza do mundo enquanto que os 99% restantes tenham que brigar pelo que resta de forma totalmente desproporcional? Se você não concorda com essa injustiça, meus parabéns, você é de esquerda.


Antigamente, no modo de produção primitivo, todos eram produtores e trocavam os produtos dos seus trabalhos. Se eu fizesse uma cadeira naquela época, por exemplo, podia trocá-la por comida com quem plantasse ou pescasse. Trabalho era trocado por trabalho, mostrando que para as coisas serem justas, o trabalho é que deve ser medida de riqueza. Se você trabalhasse muito, você ficaria mais rico. Mas hoje são as pessoas que não produzem as que ganham mais, seja através da exploração, da corrupção ou da especulação. Investidores e acionistas não geram riquezas, pois o que alimenta as pessoas é o peixe, e não as expectativas do anzol. Se perdermos isso de vista, os ricos são capazes de nos transformar em seus verdadeiros escravos, porque vamos trabalhar a maior parte do nosso tempo somente para sustentá-los.


A alienação como método de controle
Se você trabalha e precisa desse trabalho para sobreviver, então eu te pergunto: você acha justo ter que trabalhar vários meses por ano só para sustentar os ricos e os parasitas do Estado? Se você faz parte da grande maioria que acha isso injusto, então já deve ter se questionado por que todo esse pessoal indignado com essa situação não se junta para acabar com essa exploração. E sabe por que isso não acontece? Simples: porque os mandantes desse sistema fazem de tudo para que você e todo o resto não saibam desses fatos, mantendo a grande maioria das pessoas alienada através de uma educação ruim e de uma mídia que só serve para fazer lavagem cerebral. A direita reacionária, que cada vez mais ganha mais adeptos, é que mais se interessa com essas distorções e enganações do sistema, afinal, é ela que lucra mantendo você conformado, achando que o consumismo é um ideal de felicidade, que juros abusivos são normais e escondendo de você as injustiças do sistema.
Com a mídia fazendo lavagem cerebral, a educação sucateada, as igrejas dizendo que a felicidade está em outra vida e com os trabalhadores ganhando consolos migalhas como salário, tudo fica mais fácil. Ou seja: um ciclo vicioso está formado aí com base no pão e circo. Enquanto você está distraído com futebol, novelas e bundas, os políticos e a elite plutocrata estão vivendo às suas custas. Enquanto eles vivem, você apenas sobrevive. Você é escravo do seu salário e precisa pagar caro para ter benefícios que deveriam ser gratuitos, como saúde, segurança, educação, moradia, comida, água e até sexo.



O lado mais estarrecedor do capitalismo
Você fica chocado quando vê gente jogando comida no lixo quando se lembra das milhões de crianças esfomeadas e desnutridas que morrem de inanição pelo mundo? Então deixa eu te perguntar uma coisa: o que você acha que os grandes produtores de alimentos fazem com a comida excedente no estoque? E o que você acha que os supermercados fazem com a comida que está prestes a estragar e que ninguém compra? Simples: eles incineram, queimam, esses alimentos. Quando se produz alimentos a mais em uma safra, o preço deles cai por haver mais oferta que procura, logo, para subir os preços e manter os lucros, é preciso reduzir os alimentos e vendê-los na quantidade e no valor que eles compensem ser vendidos. Os grandes agricultores não estão nem aí para atender às demandas e matar a fome das pessoas, o interesse deles é apenas lucrar. E os supermercados queimam os alimentos para que ninguém vá catá-los no lixo ou comprá-los a um preço mais baixo por estar perto de estragar. Você é forçado a comprar comida cara para dar lucro a essa gente. Mas o que dói mais nisso tudo é que o mundo tem condições suficientes para produzir comida de sobra para todos, mas enquanto existir o capitalismo sem regulação estatal, a fome vai continuar a existir.


Se você ficou chocado com isso, deixa eu contar mais. Sabe as vacinas que o Estado nos fornece ou que você mesmo paga para se proteger de alguma gripe perigosa que surge quase repentinamente no mundo? Pois é, não há evidências de que as doenças atuais sejam criadas em laboratório, mas sabe-se que hoje há tecnologia de sobra para criar armas biológicas (vírus) que sejam capazes de contaminar e exterminar rapidamente populações inteiras. E o mesmo sistema que cria esse tipo de vírus também cria as vacinas para combatê-los. Ou seja, é o capitalismo criando problemas para vender soluções, mesmo que esses problemas custem a vida de milhões de pessoas. Para se ter uma ideia da busca desenfreada pelo lucro, tem uma lâmpada aí que já está acesa há mais de 110 anos e as pessoas até cantam parabéns para ela em seu aniversário. E adivinhe por que as lâmpadas das nossas casas queimam tão rápido: por causa dele mesmo, o lucro. Empresas investem grana alta em tecnologia para criar lâmpadas que queimam rapidamente só para vender mais. O capitalismo não prioriza a eficiência, mas o lucro.
O capitalismo lucra simplesmente com tudo que puder, criando feiuras imaginárias para você gastar com produtos e cirurgias estéticas; com tinturas para cabelo, mentindo alegando que os homens preferem as loiras; com a violência, vendendo armas e sistemas de segurança privada, etc. Eu poderia passar horas escrevendo vários exemplos aqui, porque a única coisa que o capitalismo quer é o lucro. E, para piorar, com a dívida pública brasileira crescendo infinitamente devido às distorções do sistema, a iniciativa privada precisa crescer também infinitamente para poder pagar essa dívida impagável que só serve para enriquecer os banqueiros e os ricos que investem em títulos públicos do Tesouro Direto. Ou seja, o capitalismo financeiro exige um crescimento infinito da economia para se manter, mas como a natureza é finita, nós estamos cavando a nossa própria cova desse jeito. Estamos num sistema insustentável e que, para piorar, ainda usa o petróleo, que é poluente e não renovável, como combustível e matéria prima para quase tudo. E quando o petróleo começar a acabar - fato que está bem próximo de acontecer - aí é que tudo vai virar um caos. Algumas guerras podem ocorrer por causa disso e nem quero dizer quem é que vai mandar você ir à guerra morrer para defender os ideais deles. Se você já jogou xadrez, deve perceber muito bem que o povo não passa de um peão que sofreu lavagem cerebral para dar a vida em troco de nada, ou melhor: em troco da manutenção do poder da plutocracia. E na guerra não é diferente.



Criação de humanos para mão de obra
Sei que é meio assustador dizer isso, mas você está sendo literalmente cultivado pelo sistema como se fosse um animal que procria para gerar lucros. Note que cirurgias de vasectomia e laqueadura só podem ser feitas com um monte de restrições previstas na lei, como, por exemplo, ter mais de 25 anos, ter capacidade civil plena e com pelo menos dois filhos vivos. Se você não for filho de um magnata, pode esquecer a ideia de se esterilizar antes dos 25 anos - faixa etária essa onde, normalmente, os hormônios estão em ebulição, aumentando as chances de você ter uma relação sexual durante essa fase.
Mas aí você pode sugerir o uso de preservativos para evitar a gravidez... Pois bem: Primeiro que pobre não tem renda nem para comprar comida direito, como que vai sobrar grana para eles comprarem camisinha? Isso sem falar que a Igreja Católica continua insistindo na ideia de que usar camisinha é pecado, condenando todos os métodos contraceptivos e condenando até a homossexualidade, afinal, como disse um certo reacionário "aparelho excretor não reproduz". Daí que você pode argumentar que existe camisinha de graça nos postos de saúde. Pois bem, com o machismo e o moralismo dominando a sociedade, as meninas pobres sentem vergonha de ir a um posto de saúde pegar uma camisinha de graça, pois todos vão saber que ela começou a sua vida sexual. E para piorar o quadro, a educação sexual nas escolas ainda é tratada com um tabu moralista-reacionário gigantesco, o que dificulta o conhecimento dos métodos contraceptivos. O resultado disso é o aumento de gravidezes indesejadas e, como o aborto é crime no Brasil (e os reacionários de direita defendem a sua proibição até a morte), então isso gera um aumento populacional de pessoas mais pobres que só servem como mão de obra barata para sustentar os ricos e políticos. Isso tudo mantém a população pobre alta, o que torna a mão de obra abundante e barata, já que há muita gente para poucas vagas. Esta estratégia ajuda a aumentar as exigências para ocupar os cargos e, consequentemente, diminui os salários. Os pobres (especialmente os negros e menores de idade) que "sobram" - e que não se submetem a essa escravidão do sistema - são caçados pelo Estado através da redução da maioridade penal (também aprovada pelos reacionários) - isso quando não são mortos pela polícia, afinal, como adoram dizer os reacionários: "bandido bom, é bandido morto".
Moral da história: o capitalismo quer que a população pobre aumente porque são as pessoas mais carentes que vão formar a base da pirâmide social e sustentar os parasitas que estão no topo dela. Como já dizia a Bíblia logo no primeiro livro: "Sede fecundos, crescei vos, multiplicai-vos e enchei a terra". Só que esse aumento populacional irresponsável tem um preço. E sabe quem vai pagar caro por isso, ela mesma...


Só existe uma Terra
Os recursos naturais do planeta Terra são finitos, ponto. Além disso, a natureza é uma ditadura: ou você se adapta às suas leis, ou morre. Só que a lógica do capitalismo é crescer infinitamente para gerar lucro sem se preocupar com o planeta. Acontece que as penalidades para essa irresponsabilidade já começaram faz tempo: escassez ou excesso de chuvas; extinção da fauna e da flora; poluição e aquecimento global. E o pior de tudo é que o próprio capitalismo lucra com essa bagunça toda, porque o capitalismo, como citei anteriormente, é especialista em criar problemas para vender soluções. Rios poluídos te obrigam a comprar a água limpa para consumo; atmosfera poluída te obriga a fazer tratamentos caros contra doenças respiratórias; comidas gordurosas te obrigam a comprar remédios caros para tratar do seu colesterol; alimentos industrializados cheios de sal e de açúcar te obrigam a comprar remédios para pressão e diabetes. Fora o consumismo desenfreado de produtos que não foram feitos para durar, te obrigando a comprar novos produtos assim que eles quebram (lembra da lâmpada acesa há 110 anos que citei lá em cima?). O capitalismo é insustentável e vai destruir o meio ambiente em velocidade exponencial. O meio ambiente cresce em progressão aritmética, já o capitalismo precisa crescer em progressão geométrica. O resultado é que em algum momento isso vai acabar destruindo o planeta e também, por ironia do destino, o próprio capitalismo.
Infelizmente, não há outro planeta para onde possamos ir quando o nosso estiver em colapso. Fazer a terraformação de Marte pode levar vários séculos e mesmo assim falhar. Ou cuidamos do nosso planeta mudando esse sistema, ou estaremos caminhando a passos largos rumo à extinção em massa.
Apesar dessa previsão apocalíptica, os magnatas talvez se salvem, pois eles podem soltar os supervírus por aí ou mesmo provocar guerras para reduzir a população. Assim eles ganham tempo para pensar no que vão fazer antes que o caos tome conta de tudo.

O capitalismo gera crises naturalmente e a pior delas vem até 2030

Mudanças no sistema
O sistema ideal, na minha opinião, não é baseado em concorrência, mas, sim, em cooperação. A ideia de concorrência é egoísta e gera vários males sociais - principalmente em um sistema onde os mais ricos podem acumular riquezas sem limites. Um dos grandes problemas do capitalismo é que se beneficia mais dele quem tem menos empatia e mais tendências psicopatas. Isso porque o psicopata não se importa com o sofrimento alheio e, por isso, é capaz de fazer as pessoas sofrerem o quanto for necessário para que seus negócios cresçam cada vez mais. Toda essa desumanidade do capitalismo fomenta diferenças que não são naturais e distorcem o valor do dinheiro, fazendo ele virar medida de exploração ao invés de ser medida de trabalho.
Já a ideia de meritocracia burguesa é totalmente distorcida, porque ela considera que o esfomeado que nasceu debaixo da ponte tem as mesmas chances de virar um empresário de sucesso que o filho de um usineiro.

Quem disse que domesticar o capitalismo é tarefa fácil?

Democracia de verdade
Para o capitalismo conseguir se manter sem colapsar, várias mudanças são necessárias. Se quisermos manter os políticos, precisamos de leis que só permitam doações de pessoas físicas para campanhas políticas e com limite máximo de financiamento. O que temos hoje é a doação de valores ilimitados, valores esses que são pagos, normalmente, por mega empreiteiras e mega empresários que exigem trocas de favores aos políticos depois que eles são eleitos, tornando o sistema naturalmente plutocrata. E aí que os banqueiros, acionistas e especuladores acabam conseguindo um jeitinho de ficar ainda mais ricos pagando quase nada de impostos com esse sistema de favores que beneficia os mais ricos. E o dinheiro dessa elite plutocrata vem justamente da mais-valia extraída dos trabalhadores. Então, se quisermos as coisas mais justas, temos que fazer com que os políticos parem de governar para os bilionários. Com um limite de doação para campanhas sendo acessível a, digamos, 80% da população (no caso de pessoas físicas), as coisas tornar-se-iam mais democráticas.
Outra possibilidade seria a democracia direta, onde o próprio povo cria as suas leis sem a participação dos parlamentares corruptos, parasitas e manipulados pelas elites. Essa super democracia eliminaria os gastos obscenos com os salários dos políticos e seus assessores nepotistas e, de quebra, reduziria os lucros exorbitantes dos 0,2% mais ricos do país. Um governo sem políticos seria bem mais interessante porque visaria o povo - e não os financiadores das campanhas.

Desde quando os políticos te representam?

O futuro pode ser diferente
Muitas pessoas têm ojeriza da palavra 'estatizar', principalmente a turminha da direita. Mas há setores que precisam ser estatizados para não gerar distorções absurdas que mantém uma minoria rica lucrando em cima dos cadáveres dos desnutridos. O setor de alimentos básicos (agricultura e extração) e de energia precisam ser estatizados, porque assim eles não teriam como objetivo o lucro e, assim, teriam condições de produzir comida e energia mais barata em grandes quantidades, o que reduziria a fome e o risco de apagões sem ficar apelando para assistencialismos. E com a energia estatizada, opções de energia renovável e limpa poderiam competir sem maiores problemas com termelétricas e usinas nucleares.
Se houver democracia de verdade no legislativo em conjunto com a estatização de recursos básicos para se criar eficiência ao invés de lucro, boa parte dos problemas gerados pelo capitalismo vai diminuir. Também seria muito útil investir no cooperativismo para reduzir os impactos ambientais e problemas naturais do capitalismo financeiro. Mas para deixar as coisas realmente mais justas, os 1% mais ricos precisam pagar impostos proporcionais, reduzindo o rombo das dívidas públicas no orçamento do Estado.
Com limite no financiamento de campanhas eleitorais, com comida e energia baratas, com empresas baseadas no cooperativismo e com os ricos pagando impostos, teremos uma melhoria considerável no nosso sistema.

Os pobres são os que mais pagam impostos

Há também possibilidades bem interessantes de cidades e sistemas sustentáveis, como o Projeto Vênus, por exemplo, onde tudo funciona na base da cooperação, ao invés da competição. No Projeto Vênus não há políticos, a comida e a energia são de graça, não há dinheiro para corromper o sistema e as pessoas só precisam trabalhar três dias por mês. Sistemas como o open source (código aberto) são a prova de que a cooperação pode funcionar melhor que a competição. Precisamos urgentemente de uma saída sustentável para não destruir a natureza e nem a nós mesmos.

Mas se você não estiver convencido e acha que as coisas devem continuar como estão, é bom que saiba que a automação nas fábricas não para de crescer e, em breve, quase todos os trabalhos serão executados por robôs. Isso vai aumentar o desemprego e, consequentemente, destruir o mercado - já que o mercado precisa de pessoas com renda para poder fazê-lo funcionar. Mudanças são necessárias não apenas por uma questão de justiça social, mas por uma questão de sobrevivência da nossa espécie. Temos que mudar, seja por bem ou por mal. O futuro está em nossas mãos.



Fontes:
-Tecmundo - O fim da humanidade em 2030
-Carta Maior - Como você financia a fortuna dos super ricos
-Carta Capital - Imposto sobre grandes fortunas renderia 100 bilhões por ano
-Folha de S Paulo: Papa Francisco prega mudanças estruturais no capitalismo
-TCU com a proposta de proibição de incineração de alimentos (pg 14)
-Tecmundo - Vírus feito em laboratório pode dizimar metade da humanidade 

-G1 - Lâmpada "misteriosa" está acesa há 110 anos nos EUA
-Leandro Zayd: Os caras que mandam no mundo (vídeo)
-Leandro Zayd: O futuro da humanidade (vídeo)

5 comentários:

  1. Meu amigo, quem cria riqueza é unicamente o sistema capitalista. Essa idiotice marxista é a grande causa do atraso econômico do Brasil. Políticas sociais são necessárias para corrigir algumas distorçoes do capitalismo. Simples assim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você leu o que você escreveu?

      "quem cria riqueza é unicamente o sistema capitalista"...

      "UNICAMENTE O SISTEMA CAPITALISTA"...

      Por favor, companheiro, volte para o ensino fundamental e estude mais sobre 'modos de produção', depois a gente conversa.

      Enfim, depois dessa sua piada em forma de comentário, só me resta desejar boa sorte nos seus estudos.

      Excluir
    2. Por isso que em 1989, na Europa do Leste e na Rússia os bandidos-exploradores comunistas foram derrubados em Um Dia como Bundas Moles Covardes! Lá os povos escravizados derrubaram a tirania socialista inventada pelo capitalista judeu Kissel Mordekay, dito de "Karl Marx"! Tu é a tura turma de bundas cagadas quando vão derrubar o "capitalismo", seu bundão???

      Excluir
    3. O capitalismo também será derrubado, é só uma questão de tempo.

      Excluir