quinta-feira, 13 de julho de 2017

A justiça brasileira é uma prostituta de luxo


Como hoje estou sem tempo, não vou poder fazer uma análise mais prolixa sobre a bizarra condenação de Lula pelo juiz justiceiro Sérgio Moro. O fato que pretendo abordar rapidamente neste post é a parcialidade obscena da "justiça" brasileira.

Enfim, esse fato grotesco de um juiz parcial ter condenado um ex-presidente sem provas – enquanto que outros ex-presidentes como FHC e Sarney sequer são investigados – é um deboche com a nossa cara. Já Aécio Neves e Michel Temer, que foram gravados cometendo crimes, também estão aí intocados pela nossa justiça parcial. E para completar, Dilma foi impichada por uma manada de corruptos sem ter cometido um crime sequer. É um insulto à inteligência de qualquer ser humano uma contradição desse tamanho.
Esse monte de absurdos só provam que a justiça brasileira está a serviço das elites, dos poderosos e da direita golpista. A nossa justiça é uma prostituta das oligarquias, do poder econômico e do mercado financeiro. Nunca essa gente toleraria que um ex-operário que tirou o Brasil do mapa da fome entrasse como herói para a nossa história. Eles tinham que destruir o mito Lula assim como destruíram Zumbi dos Palmares, Antônio Conselheiro, Tiradentes e Lampião.
O que ocorre hoje contra Lula é a vingança da casa grande que nunca tolerou pobres e negros em aeroportos e universidades. E a condenação de Lula simboliza tudo isso: a raiva exteriorizada de uma classe abastada ressentida que jamais tolerou que seus privilégios fossem tocados.


A moral da história é que a nossa justiça é uma prostituta de luxo que sempre dá preferência ao cliente mais rico. Se ele for um playboy, um sociólogo ou magnata, estará sempre acima da lei. Mas se for de origem humilde, proletário ou pobre, este estará sempre abaixo da lei. A justiça deste país é uma piada de mau gosto.

Um comentário: