sexta-feira, 1 de novembro de 2013

Caça às bruxas em pleno século 21


O que você acha que sugere o título desta postagem? Festa do Halloween? Não. Uma sinopse do filme Caça às Bruxas, de Dominic Sena? Também não. O título desta postagem faz uma referência à perseguição, tortura e extermínio de centenas de milhares de mulheres acusadas de "bruxaria" entre os séculos XV e XVIII. Para quem tem a memória curta, no dia 5 de dezembro de 1484, o Papa Inocêncio VIII emitiu a Summis desiderantes affectibus – uma bula papal em que reconhecia a existência de bruxas e apoiava a Inquisição a mover uma caça contra estas – dando permissão para fazer o que fosse necessário para se livrar delas. O Malleus Maleficarum (O Martelo das Bruxas) foi um manual usado pelas igrejas cristãs (católica e protestante) para identificar as bruxas e condená-las à morte. Entre as mulheres assassinadas estavam cientistas, seguidoras de religiões "pagãs" e mulheres com desejo sexual "incontrolável". Na verdade, qualquer mulher que incomodasse o poder dominante na época (formado exclusivamente por homens) era alvo de perseguição.

Capa do Malleus Maleficarum

O terror continua
Se alguém acha que a Caça às Bruxas acabou no século 18, lamento informar, mas ela ainda continua a existir até os dias atuais. Substituíram a tortura física por tortura psicológica, mas continuam havendo perseguições e execuções em pleno século 21. Toda mulher que assume ser livre sexualmente, que se "veste mal" ou que admite gostar de sexo é imediatamente taxada de diversos adjetivos degradantes, é perseguida, ameaçada e excluída. E como se isso tudo não fosse suficiente, as pessoas ainda insistem em apontar a própria mulher – vítima dessa perseguição covarde – como culpada. Por conta disso, muitas mulheres precisam fingir, precisam se reprimir ou mudar de nome para fugir do espírito de Tomás de Torquemada que reencarnou em toda sociedade. E, não raramente, esse verdadeiro linchamento moral e social termina de forma trágica.
Já é um fato constatado cientificamente que hoje a maioria das garotas ocidentais possui os músculos circunvaginais e pubococcígeos atrofiados por não se tocarem, por sentirem culpa, vergonha e até medo dos seus próprios órgãos genitais. Isso se reflete em dificuldades de sentir prazer e orgasmos até mesmo para as praticantes de pompoarismo. Essa negação do desejo feminino é uma verdadeira mutilação genital psicológica. 


A inquisição moralista-sexista
Assim como Hipátia de Alexandria, Joana D'Arc e tantas outras mulheres que foram mortas por perseguições religiosas ou políticas, muitas mulheres ainda hoje perdem a vida ou mesmo a vontade de viver diante dessa Caça às Bruxas contemporânea. Assim tem sido com garotas que foram verdadeiramente linchadas socialmente quando os vídeos onde elas faziam sexo com seus parceiros foram expostos na internet. Mais recentemente, o Caso Fran foi uma prova disso. A garota foi ridicularizada por fazer sexo, algo que todos fazem, mas que por alguma razão bizarra, só homens podem se vangloriar de fazer. Um homem e uma mulher fazem sexo, mas a "culpada" (não sei exatamente de que) é a mulher. Mas desde quando um homem e uma mulher transarem por prazer é errado? E que culpa a mulher tem nisso? Ou será que a culpa não é daquele que divulgou as fotos e vídeos da parceira nas redes sociais, sabendo das consequências? Muitos insistiram em culpar a vítima por ela ter se deixado filmar, mas essa desculpa não é aceitável pelo simples fato de que ela poderia ter sido filmada sem o consentimento dela e o resultado seria exatamente o mesmo. Repito: a culpa é do rapaz que divulgou o vídeo e da nossa sociedade hipócrita, machista, patriarcal, sádica e burra. A Fran não errou, quem errou fomos todos nós hipócritas, babacas e machistas que vivemos na cegueira do falso moralismo. Como já dizia José Ângelo Gaiarsa sobre esse assunto: "Vivemos num mundo doente".

Essa coisa 'abominável' chamada sexo...

O império do falso moralismo contra-ataca
Sobre o que a garota fez na cama, eu me pergunto que ataque de puritanismo foi esse que deu em todo mundo? De repente todo mundo virou santo? Ou será que todo mundo é virgem, casto, celibatário, frígido, recalcado e acredita que a cegonha traz os bebês? Será que ninguém nunca falou um palavrão, nunca fez algo para agradar o parceiro, nunca transou por prazer e nunca realizou uma fantasia? O sexo é um dos poucos prazeres gratuitos que temos na vida e ainda é motivo de chacota? Será que os homens precisam passar a vida inteira tendo que pagar para se realizarem com prostitutas e as mulheres precisam se reprimir para sempre? É isso? Agradar uma pessoa que a gente ama é crime desde quando?
A nossa sociedade retrógrada, infelizmente, não perdoa nenhuma mulher que não seja um modelo perfeito do patriarcado: frígida, comportada e submissa. Hoje, a garota que teve as suas imagens divulgadas na internet praticando aquele 'crime hediondo' chamado "sexo" vive escondida, perdeu o emprego, largou os estudos, teve que mudar a aparência, o nome e não tem mais vida social. Enfim, a Caça às Bruxas do século 21 continua tão terrível e ameaçadora quanto nos tempos da Inquisição.

Caça às Bruxas do século XXI

Uma luz no fim do túnel
Ao menos uma luz de esperança surgiu nesse cenário medieval, porque o deputado Romário (PSB-RJ) apresentou um projeto de Lei que torna crime a divulgação indevida de material íntimo. Conforme prevê o projeto de Lei 6630 de 2013, o acusado poderá pegar pena de até três anos de prisão, além de ser obrigado a indenizar a vítima por todas as despesas decorrentes de mudança de domicílio, de instituição de ensino, tratamentos médicos e psicológicos e perda de emprego. Essas são apenas algumas das consequências de quem tem a vida devastada pela divulgação da intimidade.



Vídeos recomendados sobre o assunto:





Para saber mais:
"Não me arrependo porque fiz por amor" - G1
Todas somos Fran - Grandes Mulheres
Projeto de Romário torna crime divulgação de fotos e vídeos íntimos 
Fran, a menina que fez sexo - Casal Sem Vergonha

4 comentários:

  1. Eu mesmo sou uma prova viva disso!
    Sou mais uma de tantas vítimas da caça as bruxas contemporânea.admito ser livre sexualmente gosto de fazer sexo com outros parceiros,as pessoas me olham torto me taxam de puta,não querem amizade comigo "O tamanho da minha preocupação "enfim to nem ai,sou o que sou sou não mudarei por que de opressão de falsos puritanos,hipócritas e falsos moralistas. Aqui mesmo onde moro ja fui excluída socialmente por pessoas inescrupulosas até mesmo que se diziam amigos!eles falam o tempo todo que não sou mulher pra se relacionar sério,que sou uma rodada,uma galinha enfim como vc diz no texto todo tipo de adjetivos degradantes.enfim um verdadeiro linchamento moral e social
    Quando saio na rua eles olham pra mim e me apontam
    Mais eu não me importo nada disso me atinge e digo o mesmo para mulheres que passam por isso
    Sim mulheres livres,a caças as bruxas existe sim,ela não acabou eu sou a prova viva que a inquisição continua tão nojenta e opressiva quanto na idade das trevas! Meus vizinhos evitam qualquer tipo de amizade comigo,perdi amizades de pessoas próximas por ter feito sexo com meu vizinho,eles me evitam,me olham com desprezo e indiferença e me julgam,dizem que não sou pessoa para se ter amizade
    Que sou uma mulher mal exemplo para a sociedade e para as filhas deles
    Enfim vivo um verdadeiro falso moralismo,ataques de puritanismo,não tenho mais amizades com ninguém definitivamente todos se afastaram de mim,resumindo não tenho mais vida social,exceto de duas pessoas que inclusive são livres sexualmente também. Mais o resto todos me evitam.
    Mais to nem aí,não se deixem viver por causa de julgamentos e exclusão social seja quem você é e de um tapa na cara da sociedade assim como eu dei
    E vamos em frente afim de acabar de uma vez por todas com a hipocrisia puritana!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, se fosse homem, será que as pessoas fariam o mesmo julgamento? Isso só prova o quanto é importante combater o machismo e o pseudo moralismo da nossa sociedade sexista e patriarcal.

      Namastê.

      Excluir
  2. Sim é verdade!antes de mais nada quero parabenizar o seu blog,e dizer que seu texto é muito encorajador e te parabenizar por ser um homem contra o patriarcado"machista" o mundo Prescisa mais de homens como você,que entende que desde a época primitiva nós mulheres sofremos com a opressão e a escravidão de homens doentes,que acham ser superiores a mulheres e claro que coisa boa não resultou né! Chega desse falso puritanismo
    Achar que mulher tem que ser submissa ao homem,achar que mulher pra casar tem que ser virgem e puritana,nois mulheres sentimos desejos sexuais até mais do que o homem por conta de nossos hormônios que são bem mais aguçados
    Isso já foi comprovado cientificamente. Enfim me indetifiquei muito com seu texto,passo por isso mais jamais deixarei de viver por causa disso,jamais deixarei de viver a minha vida pessoal e sexual por conta do julgamento hipócrita da sociedade,não vou me reprimir e não vou me calar jamais perante esses falsos moralistas e hipócritas!Chega de violência contra a mulher chega dessa sociedade bitolada avançar tecnologicamente e cientificamente e os pensamentos e mentalidades serem arcaicos e primitivos esse religiosos,políticos cristãos e sociedade em geral Prescisa aprender que os tempos mudaram e são outros que todos somos humanos e temos desejos seja ele que tipo for,não importa o gênero,não importa o caracter,não importa se for gay,lesbica transgenero, mulher e homem.
    Enfim não vamos nos oprimir nunca as!
    Parabéns mais uma vez pelo seu blog e suas matéria em geral acompanho tudo você tem uma mente muito evoluída continue assim!!!
    Abraços paz e Luz!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Sarah!

      É uma tarefa árdua lutar pela igualdade porque a sociedade ainda carrega raízes muito moralistas que são amplamente difundidas pelo senso comum. Precisamos desconstruir todos os preconceitos e ensinar as pessoas a amar e a respeitar a todos. Ser feminista num mundo misógino como o nosso é um ato de coragem e de respeito que exige uma luta diária.

      E eu dou os parabéns a você, Sarah, por sua coragem e por sua determinação em lutar pela liberdade de todas as mulheres. Porque é pelo seu exemplo que as pessoas terão coragem de repetir os seus gestos na luta por uma humanidade mais justa para todos. As mulheres livres de amanhã serão eternamente gratas pelas mulheres de hoje, como você, que não abaixam a cabeça diante das injustiças do patriarcado.

      Abraços.

      Excluir