quinta-feira, 13 de setembro de 2012

O Capeta existe?


Há muito tempo atrás, quando eu ainda era criança, li um romance chamado Robinson Crusoe, do escritor Daniel Defoe. Eu lembro que nesse livro havia um diálogo entre o protagonista e um nativo chamado Sexta-Feira, onde discutia-se sobre a religião cristã. Quando Robinson Crusoé contou a Sexta-Feira sobre o Diabo, o nativo disse algo do tipo: "Se Deus é mais forte que o Diabo, então Ele mata o Diabo com uma paulada só". Essa frase nunca me saiu da cabeça e fiquei a pensar sobre isso por anos.
O Diabo é o pai do rock
A ideia da inexistência do Diabo começou aí para mim. Realmente isso fazia sentido: pois se Deus é onipotente, onisciente e benevolente, então por que não deu um fim ao Diabo de uma vez por todas? Se o Diabo não existisse, não haveria mal no mundo. O engraçado é que Deus, onisciente que é, já sabia de antemão que o anjo Lúcifer se rebelaria contra Ele. Então tudo isso tornou-se uma grande contradição para mim. Antes mesmo de descrer no Deus bíblico, eu já tinha perdido a fé no Satanás. E a conclusão sobre essa história é que o Diabo não passa de uma invenção folclórica para justificar a maldade humana.

O inferno existe?
Ainda na minha infância, li certa vez numa das folhas do meu catecismo sobre a história de Nossa Senhora de Fátima. Para quem não conhece, essa história trata sobre as supostas aparições de Nossa Senhora na cidade de Fátima, em Portugal, onde ela havia mostrado para três crianças como era o inferno. Além da aparição para os três pastorinhos, também houve uma aparição coletiva da mesma santa para dezenas de fiéis da região. Muitos católicos consideram esse evento como sendo a prova da existência do inferno, mas para mim essa história carece de fontes confiáveis e só é contada justamente pela única instituição interessada em sua veracidade: a Igreja Católica.
Muitos teóricos da lenda dos Antigos Astronautas alegam que essa história da santa foi um fenômeno ufológico, outros alegam que foi uma fraude bolada por um padre, já outros dizem que tudo não passou de uma lenda. Independentemente dessa história ter sido real ou não, o que eu não consigo entender é como um deus justo e infinitamente misericordioso poderia atirar os seus filhos amados no inferno para lá queimarem eternamente. Como é que o fogo - algo pertencente ao mundo material - pode queimar algo imaterial (a alma)? Além disso, que justiça há em fazer alguém pagar ETERNAMENTE por algo cometido durante um tempo finito (algumas décadas de vida)?
Na minha opinião, o inferno não passa de um lugar imaginário inventado pela igreja como forma de amedrontar os fiéis e os tornar obedientes. E o engraçado é que todos aqueles que não acreditarem no cristianismo - seja por seguirem outras crenças ou por nunca terem ouvido falar no cristianismo - vão para o inferno. Estranhamente, para os muçulmanos, por exemplo, todos os cristãos é que vão para o inferno por não crerem em Allah e por não seguirem os preceitos do islamismo fundamentados pelo último profeta do deus de Abraão: Mohamed.

Exorcismo
Durante muitos séculos, a Igreja Católica exorcizou esquizofrênicos, psicóticos, sonâmbulos e doentes mentais achando que estes estavam "possuídos". Estranhamente, os tais demônios nunca se manifestam em pessoas que não eram cristãs. E muitos dos supostos "encapetados" ou "possuídos" resolveram as suas crises com medicamentos e tratamentos psiquiátricos.


Nessa diabinha eu acredito
Conclusão
A mitologia judaico-cristã é uma das piores e mais mal contadas de toda a história. O Zoroastrismo tinha uma entidade maléfica chamada Arimã que influenciou notavelmente o cristianismo, dando a ideia de dualidade entre bem e mal. Isso apenas evidencia que o cristianismo foi formado de um sincretismo religioso de bases egípcias, romanas, hebraicas e sumérias.
Essas evidências todas apenas comprovam que o capeta é tão real quanto um unicórnio cor-de-rosa invisível.

7 comentários:

  1. deus, como o Diabo, carecem de credibilidade para existirem. Paga uns 10% do teu salário e ganha o kit completo, com acrécimos adicionais de satanás, de acordo com a renda do cliente, digo, fiel....rss

    Já essa diabinha de vermelho é bem crível.


    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se a diabinha de vermelho morasse no inferno, com certeza eu ia querer viajar para lá! rss Além disso, o inferno está cheio de gente interessante, tais como Darwin, Einstein, Nietzsche, Sagan, entre outros gênios irreligiosos. Além disso, dizem que o churrasco de lá é ótimo! Rarará!
      Fala sério!
      Abraço.

      Excluir
  2. Olá, Wellington. Não creio no diabo de chifres e capa vermelhos, esse até já parece ser simpático. Mas acredito numa horda ensandecida de espíritos inferiores agindo sobre nós e sobre o mundo com uma alta dose de maldade, ganância, deslealdade e imoralidade, transformando esse planetinha num inferno. As tais "igrejas" e "religiões" que deveriam confortar se tornaram mercantilistas e compram "terreno no céu" ou a pureza dos incautos ignorantes através da "fogueira santa" (os tais bispos devem estar pretos de tanto pecado ao se fartar no dinheiro que eles juram que é uma maldição). E tudo isso embalado ao som de um excremento chamada de funk.
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Janerson.
      A cada dia que passa eu torno-me mais convicto de que as pessoas precisam menos de religião e mais de espiritualidade. Infelizmente, as religiões acabaram se apoderando de elementos místicos e espirituais para erguerem os seus impérios.

      Sobre a questão dos terrenos que são vendidos no céu, estou preparando uma postagem só para falar sobre isso.
      Já o funk tem letras que são um claro apelo à violência e à prostituição.

      Mas isso tudo tem solução e essa solução se chama vontade política.

      Abraço.

      Excluir
    2. Muito bem lembrado. Se houver uma grande vontade política somada a uma mudança em nossas atitudes, acho que pode e deve haver uma injeção de ânimo em nossa esfacelada cultura. A propósito: nunca falei nada a respeito, mas considero este um ótimo blog, com assuntos variados e debates interessantes. Continue assim, isso também enriquece nossos conhecimentos.
      Abraço

      Excluir
    3. Opa, brigadão, Janerson! É justamente a participação dos leitores que me motiva a continuar atualizando este blog.
      Sobre a vontade política, ela precisa vir de todos nós. Esse negócio de jogar a responsabilidade para cima dos outros - como algumas pessoas pensam - não ajuda em nada.
      Esse país tem jeito, sim, basta atitude.

      Abraço.

      Excluir
  3. aaaaaaaaaaaaaaa que nada vou pro sel com meu pai

    ResponderExcluir