domingo, 6 de agosto de 2017

Um drink para os haters


Ter opiniões divergentes do senso comum, ser progressista e subversivo em uma sociedade tomada pelo reacionarismo é garantia de que você será odiado, atacado e trollado. E nas últimas semanas eu recebi um verdadeiro bombardeio. Foi quase uma centena de comentários que recebi neste bloguinho com ofensas, xingamentos e até ameaças por parte de gente que não tem a menor capacidade de diálogo e de empatia pelos semelhantes. Obviamente, nenhum desses comentários foi ou será publicado em respeito aos leitores. Também li em fóruns e páginas de redes sociais coisas impublicáveis ao meu respeito e a respeito deste blog. Mas quer saber? Tô nem aí!

Olha a minha cara de preocupação com os haters

Quando decidi exteriorizar o meu modo de pensar, eu sabia que estava remando contra a maré. Ser de esquerda e a favor dos oprimidos nunca foi fácil. Somente os fortes são de esquerda, porque ser "esquerdista" exige muita coragem. Quem se assume de esquerda vai tomar muita porrada por ir contra o nosso status quo elitista, individualista e conservador. Se esses trolls que aqui comentam acham que irão me fazer desistir, estão muito enganados. Quanto mais me batem, mais motivado eu fico, porque isso é sinal que eu estou incomodando e falando verdades.

Para os pobres diabos que babam de ódio contra a Venezuela, Cuba, o PT, a esquerda e os movimentos negro, feminista, ateu e LGBT, só desejo que tenham uma vida menos amarga para que não acabem hospitalizados em decorrência do ódio patológico que sofrem. Ódio não faz bem para ninguém.


Não gostou?
Então eu dedico a música abaixo em sua homenagem:



Namastê!

2 comentários: