sábado, 10 de setembro de 2016

O capitalismo matou muito mais que Stalin

Stalin era um amador comparado com o que o capitalismo já fez

O que mais vejo por aí são pessoas que nunca aprofundaram seus estudos sobre história ou ciências sociais bradando aos quatro ventos que "o comunismo matou milhões" ou que "Stalin foi o maior assassino da história". Não é de se surpreender que tais afirmações tenham nascido das bocas de gurus aloprados da extrema-direita como Olavo de Carvalho e alguns colunistas macarthistas da Veja. Se esse tipo de gente chega ao ponto de fazer afirmações insanas como a de que o "Nazismo era de esquerda", dá para imaginar até que ponto eles podem distorcer a realidade para atender aos seus interesses políticos. Mas enfim, vamos aos fatos.
Primeiro que durante o governo de Joseph Stalin (1924-1953) na antiga URSS seria impossível que as tais 43 milhões (ou 100 milhões) de pessoas tivessem morrido. Basta ver que durante o período que Stalin governou, a população soviética aumentou ao invés de diminuir. Mesmo com holodomor, gulags, mortes por razões políticas e a guerra, a população continuou aumentando ao invés de diminuir. E Stalin não matou mais do que Hitler. Não nego que muitos morreram durante os regimes de esquerda e que houve incontáveis violações dos direitos humanos, mas o grande problema é o que os esquerdofóbicos não contam. Você já parou para pensar em quantas pessoas foram (e são) assassinadas direta ou indiretamente pelo sistema capitalista e eles nunca comentam?

Vai me dizer que o Brasil era um país comunista na era FHC...

Pare e pense no seguinte:

-Em quantos perderam seus empregos ou morreram devido a crise de 1929 e ninguém diz nada.
-Em quantos morrem por pena de morte nos EUA todos os anos e ninguém diz nada.
-Em quantas crianças morrem nos EUA todos os anos como consequência da negligência governamental e ninguém diz nada.
-Em quantos jovens pobres morrem exterminados nas favelas brasileiras pela PM e ninguém diz nada.
-Em quantos morrem de inanição pela desigualdade gerada pelo capitalismo e ninguém diz nada.
-Em quantos trabalham em troca de um salário de fome no capitalismo e ninguém diz nada.
-Em quantos morrem porque não há um serviço de saúde pública de qualidade e ninguém diz nada.
-Em quantos civis morreram nas guerras financiadas pelo grande capital e ninguém diz nada.
-Em quantas toneladas de alimentos são incineradas para manter os seus preços competitivos no mercado e ninguém diz nada.


E depois esses pitecantropos do século 21 vêm dizer que o comunismo matou milhões... Olhem primeiro para a ideologia de vocês, para esse sistema vil, assassino, injusto, elitista e desigual que é o capitalismo antes de falarem mal de Cuba, Coreia do Norte ou URSS. Não estou dizendo que o socialismo é uma maravilha: estou dizendo que o capitalismo é muito pior e ninguém quer se dar ao trabalho de perceber. Segundo a ONU, cinco crianças morrem de fome a cada minuto: e essas crianças não são de Cuba, da Coreia do Norte ou da União Soviética. Se a URSS caiu em 1991 e cinco crianças morreram por minuto de lá para cá, só de fome já morreram muito mais pessoas que todos as assassinadas pelos regimes comunistas. Isso sem falar das mortes causadas pelas ditaduras militares na América Latina, que os fascistoides insistem em chamar de "ditabrandas".

Acorda, criatura, e para de idolatrar esse sistema! Deixe de ser um papagaio da mídia corporativa e desses gurus esquizofrênicos que a direita brasileira tanto ama. Você só diz que o capitalismo deu certo porque faz três refeições por dia e está tão cego por seus privilégios que não enxerga mais nada além do próprio umbigo.


Pra terminar, um videozinho contabilizando as vítimas fatais do capitalismo em números:

16 comentários:

  1. Gostaria de falar de alguns pontos: a crise de 1929, foi causada por intervencionismo e keynesianismo, não por capitalismo.
    Dois: o que a pena de morte tem haver com capitalismo? Não entendi como essas coisas estão ligadas.
    Tres: Concordo, tenho que admitir, você está certo.
    Quatro: Mas a PM, é do estado. Logo não é culpa do capitalismo, pois estado não tem nada haver com capitalismo, a não ser que você me prove ao contrário.
    Cinco: Apesar de serem minoria da população, sim, são muitos.
    Seis: Muitos mesmo, mas aí eu acho que a culpa é meio a meio, meio capitalismo, e meio pobreza de uma nação, pois vê se em um país de primeiro mundo isso ocorre.
    Sete: Concordo.
    Oito: Desta vez você tocou num excelente ponto, não precisa falar mais nada(está certo).
    Nove:A mesma coisa do item 8.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ok, vamos lá:

      1-A crise de 1929 foi uma crise do capitalismo, uma crise trazida pelo pensamento liberal do laissez-faire, laissez passer. O keynesianismo veio justamente para salvar o capitalismo, como aliás, costuma fazer sempre que o mesmo entra em crises. E mesmo que a crise tivesse sido causada pelo keynesianismo, o keynesianismo faz parte do capitalismo. Não existem países comunistas keynesianos.
      2-Sobre a questão da pena de morte, usei ela como exemplo de que países capitalistas também matam pessoas de forma legal e constitucional como fizeram os antigos regimes de esquerda.
      3-Isso mostra que o capitalismo não cuida tão bem das crianças quanto se propunha a fazer.
      4-A PM mata pobres e negros indiscriminadamente nas favelas. Porém, ela não faz o mesmo com pessoas de classe média. Essa separação feita pela PM só existe porque há essa divisão de classes em países capitalistas. Além disso, não existe capitalismo sem Estado: a menos que você seja um anarcocapitalista.
      5-Sim, verdade. Mas apesar de ser uma minoria que sofre, para eles é terrível. Não é porque são minoria que devem ser relativizados.
      6-Ok, confesso que esse item é meio ambíguo, porque a situação do meio influencia muito mais que o sistema econômico em questão.
      7-Que bom que concordamos em alguma coisa. Só lembrando que se você não for ancap, não pode negar que o Estado tem obrigação de cuidar da saúde pública.
      8-Nisso até Harry S. Truman e Stalin concordavam, porque armas sempre deram mais lucro nas exportações do que alimentos.
      9-Esse problema é exclusivo do capitalismo.

      Excluir
    2. Desculpe, mas "Negligência GOVERNAMENTAL" também é do Estado, portanto ele não está certo.
      Morte por inanição é FALTA de Capitalismo, pois mais Capitalismo(mais empresas e indústrias disputando um mesmo mercado) coloca mais quantidade e qualidade de serviços e produtos, com melhores preços, à serviço da população, além de mais empregos e melhores salários.
      Sobre salário de fome, já respondido acima. Mais Capitalismo, mais empregos e melhores salários.
      Saúde PÚBLICA. Se é PÚBLICA, bancada com nossos impostos, tomados pelo ESTADO, o que tem Capitalismo a ver com isso.
      Guerra é a ação do ESTADO, no caso da força militar daquele país. Não tem nada a ver com atuação do MERCADO, que seria o Capitalismo.

      Excluir
    3. Primeiro, não existe capitalismo sem Estado. O Estado precisa existir dentro do sistema capitalista para garantir o reconhecimento da propriedade privada.
      Morte por inanição pode ter muitas causas e o capitalismo é uma dessas causas, já que esse sistema não distribui comida gratuitamente para os desempregados e esfomeados. E desempregados, moradores de rua e pobres sempre existiram no capitalismo. Melhores salários mesmo só onde não há a mais-valia, ou seja: no socialismo.

      Guerra é ação do Estado, mas ocorre com o objetivo de aumentar os lucros dos grandes capitalistas que ficam bilionários com a indústria bélica. São esses capitalistas oligarcas que decidem através do seu poder econômico se o Estado vai ou não entrar em guerra.

      Por favor, amigo, pare de defender esse sistema desumano e cheio de injustiças e falhas.

      Excluir
    4. Caro Wellington, o que você entende por "melhores salários"? Já sei que é algo que só existe em países socialistas (Cuba, Coreia do Norte etc.). Quanto é o salário de um médico cubano? US$ 35,00 é um valor justo? Já que lá não existe exploração, por que no "mais médicos" o governo brasileiro pagava R$ 10000,00 e desses, R$ 2000,00 ficavam com o médico em R$ 8000,00 com o estado cubano? É pra pagar o "investimento" do estado na formação deles? Se for, é meio estranho, não? Aqui (país capitalista, neoliberal, desumano, malvado...) paga-se uns R$ 6000,00/mês durante 6 anos pela graduação numa faculdade privada. Depois disso, já está pago e pronto. Como então, na maravilhosa ilha da justiça socialista é preciso pagar o resto da vida? Lá o ensino não é "gratuito"?

      Excluir
    5. Anôn. 12:13

      Sem a mais-valia, os salários sempre serão melhores. Sobre Cuba, você esqueceu de mencionar o embargo econômico que ferrou com a economia do país. E lá ninguém paga pelo resto da vida por uma graduação.
      Você está claramente delirando com esses comentários sem noção que tem feito no blog.
      Volta pra tua Pepsi, olavete!

      Excluir
    6. Pepsi, coca-cola, sendo comprada com o meu dinheiro, tomo quando quiser. sou de direita e não escondo de ninguém, não sou como uns socialistas que vivem atacando mas não resistem aos frutos do capitalismo.
      Quer dizer que na lógica de vocês, ganhar US$ 35,00/ mês no socialismo sempre será melhor do que alguns milhares no capitalismo? Se não pagam, por que o [des]governo daqui dá 80% do salário dos cubanos ao ditador? Sobre o embargo, os ianques são malvados, sujos, mas o dinheiro deles bem que ajuda, né?

      Excluir
    7. Anôn: 13:55

      Você já ganhou seus 15 minutos de fama. Só digo uma coisa: o conceito de dinheiro em um país socialista é diferente do conceito em um país capitalista. Em um país socialista, os serviços básicos - saúde, educação, vestuário, alimentação e moradia - são gratuitos. Já no capitalismo você paga até para limpar a bunda.
      O governo daqui pagava ao governo cubano pelo serviço de médicos que era e é ineficiente no Brasil. E eu não quero dinheiro de ianque. Até porque o dinheiro deles que entra aqui sempre volta com juros e correção monetária para eles.
      Agora volta para os vídeos dos teus gurus aloprados que mentem dizendo que Cuba é um inferno e que a Pepsi usa células de fetos abortados como adoçante.

      Excluir
  2. Não tô falando que esses capitalistas vivem no mundo pirulito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E vivem mesmo.
      Enquanto isso, séculos de capitalismo nos trouxeram até aqui: 700 mil brasileiros (mais ou menos 0,36% da população) concentram um suas mãos 45,5% do PIB do país.
      E adivinhe? Pagam muito menos impostos que os demais, o que aumenta gradativamente essa criminosa desigualdade.
      Ou uma revolução salva nossa sociedade ou em pouco tempo não haverá Brasil para amarmos ou lamentarmos. O número de mortos só no Brasil irá superar com folga os mortos pelo "comunismo". Eis a grande "maravilha" que é o capitalismo.

      Excluir
  3. o sujeito coloca vidas de pessoas inocentes e trabalhadoras mortas pelo comunismo no patamar de criminosos mortos em favelas no brasil ou cadeiras eletricas nos eua, doente

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você devia dizer isso para todas as famílias dos milhares de inocentes mortos nas favelas e nas mãos da "justiça" ianque. Mas não é nem aí onde o capitalismo mata mais. O capitalismo mata mais de fome e de inanição mesmo. Só no Brasil neoliberal de FHC morriam 300 crianças de fome por dia. Fora as doenças causadas pelo consumo de fast food e todas essas porcarias enlatadas que tanto vendem no mundo capitalista.

      Excluir
    2. wellingto falando do Fast food vc apelou

      Excluir
  4. me responda você falou que Hitler não matou mais que Stalin mais o link do site que você falou so fala que Hitler foi mais cruel mas não diz que Stalin matou menos

    ResponderExcluir
  5. Wellington F esta errado, o FHC nunca chegou e jamais chegará a ser um capitalista, ele é um globalista, um marxista-nato e um fantoche de George Soros!

    ResponderExcluir