terça-feira, 20 de setembro de 2016

Vivemos numa democracia ou numa plutocracia?

O Brasil não é uma exceção: os 1% mais ricos também mandam aqui

Você sabe o que é uma plutocracia? Você sabe o que é um plutocrata? Não? Pois bem, vou explicar nos próximos parágrafos. Mas antes, se questione: o Brasil é mesmo um país democrático?
Se você acha que o Brasil é, de fato, uma democracia, acho bom rever os seus conceitos, nobre camarada.

Olhe para a história do Brasil e perceba que o país sempre foi controlado, dominado e explorado pela mesma classe. E não, essa classe não era o povo. Essa classe era a elite: a elite rica e caucasiana. E até hoje o Brasil é controlado por essa elite que planejou toda a estrutura política e social do país desde que ainda éramos uma colônia portuguesa. E mesmo após a independência, o nosso país continuou a ser uma verdadeira colônia das elites. De todos os trinta e sete presidentes que tivemos até hoje, apenas três terminaram seus mandatos devido à influência dessas elites que sempre controlaram a política brasileira. A história da nossa pátria amada teve pelo menos nove golpes de Estado, o que mostra o caráter "bananeiro" do Brasil desde a sua mais tenra idade. E durante todo esse processo, foi sempre a velha elite que esteve no comando no Brasil. Qualquer leve ameaça de perder seu poder, sua influência ou seus privilégios foi duramente repreendida com golpes de Estado ou com forte opressão. Um país que é controlado permanentemente por uma minoria de pessoas muito ricas não é e jamais será uma democracia, será sempre uma plutocracia.


Plutocracia nada mais é que o governo dos ricos e para os ricos. Nesse sistema, as pessoas mais abastadas – que formam oligarquias econômicas – detém o poder político, midiático, judicial, policial, militar e legislativo. O único poder que ocasionalmente foge do controle da plutocracia é o poder executivo, mas que rapidamente é resolvido via golpes de Estado. O Brasil hoje ainda é uma plutocracia, porque democracia não é simplesmente digitar alguns números numa urna eletrônica: democracia é quando os cidadãos participam ativamente da política. Nas democracias, o povo é que detém o poder soberano sobre os poderes legislativo e executivo. E isso não acontece no Brasil, porque com o financiamento empresarial milionário das campanhas eleitorais, com o caixa dois, com a compra da mídia pela alta burguesia e com a imprensa manipulando a opinião pública a favor dos interesses dos mais ricos, o que temos, na prática, é uma plutocracia plena, descarada e que muitas vezes passa despercebida pela maioria das pessoas comuns.

“… a burguesia não admitirá a democracia, sendo mesmo capaz de golpeá-la, se houver alguma possibilidade de as massas trabalhadoras chegarem ao poder" (F. Engels na introdução ao clássico Luta de classes na França, de Marx)

O plutocrata não é aquele sujeito rico que possui um patrimônio invejável, carros superesportivos, iates, helicóptero, coberturas na zona sul do Rio e uma casa de luxo em Miami. Ser plutocrata é muito mais do que isso: é ter poder, ter influência, ter conhecimento, saber como corromper políticos, saber mover as engrenagens do sistema a seu favor, saber como manter o povo alienado e, de preferência, ter aliados estrangeiros que queiram dividir as riquezas do seu país junto com eles. O plutocrata é o homem branco poderoso que não tem o menor pudor em financiar golpes de Estado e a fazer toda a economia do país girar em torno do seu bolso, dos seus interesses e dos interesses de sua classe. Em síntese, o plutocrata é aquele que controla o sistema através do dinheiro. E esse tipo de homem sempre comandou o Brasil, perpetuando os seus privilégios através do controle egoísta da política e do mercado.


Porém, para você ser plutocrata, você precisa obrigatoriamente ser um psicopata para mentir, manipular, corromper, se aliar a gente suja, matar gente de fome e de tiro, defender desigualdades para aumentar a sua riqueza e defender o acúmulo ilimitado do capital nas mãos dos mais ricos. Plutocratas precisam estar acima da lei e de fato sempre estão, porque o dinheiro também compra a justiça. O que vale para a plutocracia é a força e o poder. Quem manda no país é justamente essa plutocracia predatória, mas quem leva a culpa são apenas os políticos, que são seus fantoches. A corrupção endêmica e crônica que há no Brasil é um meio de manter essa plutocracia ainda mais forte, porque ela pode corromper mais facilmente as pessoas e julgar seletivamente quem ela bem quiser. Se duvida, então me responda por que a mídia faz esse escarcéu todo com relação à corrupção do PT, mas mal toca no assunto quando envolve a corrupção do PSDB? Ou por acaso você acha que o PSDB é um antro de santidade?
Com o impeachment controverso que tirou o PT do poder, veio junto com ele um significado disciplinador para a sociedade: reforçar a ideia de que o voto vale menos do que esses poderes arbitrários que sempre comandaram a história da política nacional. Se quisermos nos tornar uma democracia, teremos que olhar para outros países verdadeiramente democráticos e ver onde eles acertaram para fazer parecido por aqui. Reforma tributária, reforma política, reforma agrária, democratização e regulação a mídia, combate efetivo e justo contra a corrupção são alguns exemplos. Mas isso é assunto para outro post. A verdade é que, se nós quisermos e nos unirmos, o Brasil terá, sim, a chance de se tornar verdadeiramente uma nação democrática. O poder não deve pertencer aos ricos e nem ao Estado: o poder deve pertencer ao povo.

É neste mundo que você quer continuar a viver?

0 comentários:

Postar um comentário