terça-feira, 12 de julho de 2016

Jamais faremos contato #3: Somos uma ameaça a todas as formas de vida


Algumas pessoas acham que eu sou pessimista demais quanto toco neste assunto, mas, na verdade, não é possível ser mais otimista do que eu tenho sido. Além de todos os aspectos que citei nos posts anteriores sobre o tema, faltei focar no nosso aspecto autodestrutivo. Estamos destruindo o nosso planeta, a nossa casa na Via Láctea, ao extrair recursos naturais irresponsavelmente e também ao criar modos de produção absolutamente insustentáveis. O que esperar de nós se um dia ganharmos a capacidade e fazer longas viagens espaciais? Certamente vamos atrás de outros planetas habitáveis para destruir seus recursos naturais igual ou pior ao que fazemos aqui. Além das extinções causadas em nosso próprio planeta, iremos causar extinções em outros ecossistemas se não mudarmos essa nossa mentalidade predatória. Se não respeitamos o nosso próprio planeta, como raios vamos respeitar outras formas de vida? Somos uma ameaça para os extraterrestres.

Não quero ser desagradável, mas na minha sincera opinião, a espécie humana não vai durar muito. Quando não sobrar mais nada para ser destruído, desmatado, extinto e poluído, o que iremos fazer? Isso porque eu nem estou levando em consideração o risco praticamente certo de ocorrer um hecatombe nuclear. Como disse Noam Chomsky, estamos atravessando o momento mais crítico da história da humanidade. Qualquer erro no sistema de detecção de mísseis nucleares – fato que já ocorreu várias vezes ao longo da história – pode disparar um bombardeio atômico generalizado. Com as milhares de ogivas nucleares explodindo quase ao mesmo tempo, o mundo inteiro entrará em colapso com invernos nucleares, chuva radioativa, doenças e escassez de água, de alimentos e cuidados médicos. Enfim, uma catástrofe completa. Como Carl Sagan descreveu no último episódio da série Cosmos, o risco de extinção da nossa espécie está no nosso DNA. É da nossa natureza evolutiva guerrear, disputar, destruir, hostilizar, agredir e explorar.

Para terminar essa questão, eu reafirmo: jamais faremos contato. Não sobreviveremos como espécie para descobrir se há vida inteligente fora da Terra. Somos predatórios, egocêntricos, destrutivos, violentos, prepotentes, fanáticos e estúpidos demais. Os aliens não nos querem e nem nós merecemos fazer contato com eles. Certamente, vamos desaparecer antes de ter qualquer chance de contato. Não é o que eu quero, mas há alguma esperança do contrário?

0 comentários:

Postar um comentário