quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

Casamento heterossexual entre pessoas do mesmo sexo


O título deste post pode parecer errado ou sem noção à primeira vista, mas não é. Sim, estou falando exatamente disso: de duas pessoas do mesmo sexo que sejam HETEROSSEXUAIS se casando entre si. Um homem hétero casando com outro homem hétero ou uma mulher hétero casando com outra mulher hétero: é disso que estou falando. E é exatamente esse tipo de casamento que eu acho o ideal. Pois bem, antes de me xingar, espera eu te contar uma coisa...


Sexo e amor são como água e óleo
Certa vez, eu fiquei curioso quando o dramaturgo Nelson Rodrigues soltou uma de suas frases polêmicas: "O sexo é o maior inimigo do amor". Eu refleti bastante sobre essa frase e descobri que sim: o Sr. Nelson estava coberto de razão. O sexo é motivo de sofrimento em um relacionamento: pois ele é usado frequentemente como uma moeda de troca por quem precisa menos dele (um só cede ao outro quando o outro faz o que foi exigido); ele é usado como chantagem; é usado como ameaça; usado como forma de persuasão e traz traição, culpa por desejarmos outras pessoas e até doenças. O sexo costuma por o amor em xeque e vice versa, porque a convivência e a rotina transformam os amantes em irmãos, faz a intimidade se tornar repulsiva e tira toda a graça do prazer. Os casais querem amor e desejo, entretanto, o que mantém um apaga o outro. O amor pede estabilidade, segurança e previsibilidade, já o desejo arde mais quando existe mistério, aventura e novidade. Conciliar os dois é uma missão humanamente impossível.

Se não entendeu ainda, pense em quantos e quantos casamentos não terminam por causa do sexo? Seja pelos casais terem frequências diferentes, por gostarem de coisas diferentes, ou por um gostar e outro não, por traições inerentes à monogamia, por doenças trazidas pelo parceiro, pelo egoísmo de um dos lados ou pela falta de amor próprio? O sexo no relacionamento vem sempre associado com uma relação de dependência, aprisionamento de dois corpos, falta de liberdade e muitas vezes leva à traição. O sexo é um verdadeiro câncer dentro de um relacionamento monogâmico. Para parecerem "normais", os casais se veem na obrigação de transar sem vontade pra não perder o parceiro. Isso é a gota d'água.
O amor é muito superior a isso, porque uma relação verdadeira é feita de amizade, companheirismo, cumplicidade, compreensão, perdão, carinho, respeito, confiança, sinceridade, altruísmo e entrega. Casamento é um negócio que só dá certo mesmo para pessoas assexuadas ou que não priorizam a intimidade.

Ou como li certa vez num texto que achei na internet:
"A sexualidade faz mais vítimas do que as próprias guerras. É um grande processo silencioso das relações afetivas. Das mutilações dos corações; das gravidezes indesejáveis; das propagações diversificadas das doenças; das paternidades e maternidades irresponsáveis; dos abortamentos lamentáveis; dos inúmeros abandonos que surgem provocados por um sexo fortuito e inconsequente. A exemplo de um rio, não se pode deixar que essa energia flua desconsideravelmente, pois corre o risco da inundação das lágrimas do arrependimento. Há que haver um manejo entre os fatores que envolvam a afetividade e a emoção, tirando o ser humano da condição de macho e fêmea para serem homem e mulher."

Tudo bem, até aqui eu só expliquei o porquê que a relação ideal é aquela que NÃO tem sexo. Mas e essa história de casar com alguém do mesmo sexo mesmo sentindo atração sexual pelo sexo oposto? Pois bem, agora é que o negócio fica interessante!


Casamento entre iguais é muito mais feliz
Homens combinam mais com homens e mulheres com mulheres, ponto. Ninguém melhor que outra mulher para compreender que durante a TPM uma mulher precisa de carinho e compreensão. Homens não têm TPM e não podem compreender na essência este momento da mulher. Uma mulher dá palpites sobre como a outra está vestida, dizendo se um sapato combina com a costura de um casaco, enquanto que os homens normalmente ignoram ou fazem comentários lacônicos. E as mulheres muitas vezes não compreendem a necessidade masculina de solidão ou de ver pornografia, por exemplo. Ninguém melhor que outro homem pra compreender isso. Homens gostam mesmo é de estar em companhia de outros homens – assim como mulheres adoram a companhia de outras mulheres. O relacionamento igualitário é mais respeitoso, mais igual. Como já dizia um velho e sábio ditado: os opostos se atraem, mas só os semelhantes se harmonizam.

Não sou homossexual e nem machista, mas se eu pudesse escolher entre casar com um homem ou com uma mulher, eu preferiria me casar com outro homem. Digo isso porque geralmente homens gostam dos mesmos assuntos, curtem os mesmos passatempos, se entendem melhor, pensam de maneira parecida e podem ir juntos num bordel para celebrar os prazeres da vida (fora que homem não menstrua e não tem TPM, hehehe). E tem certos assuntos que são "papo de homem" mesmo. É um martírio para um homem ter que acompanhar a namorada em salões de beleza, shoppings, desfiles de moda, assistir comédias românticas cafonas no cinema, etc. E também é um martírio para a mulher ter que ir a jogos de futebol, feiras de automóveis esportivos, lutas de boxe e campeonatos de videogame. Fora que não dá para levar sua mina para jogar futebol com os amigos e depois tomar um monte de cerveja e falar putarias. O heterossexualismo, como já cansei de dizer, é uma mera imposição social.

E sexo então, nem se fala! Casado com outro homem ou mulher hétero, como nenhum vai transar com o outro, então o casamento será livre e aberto! Você vai poder transar com quem quiser sem abrir mão do seu companheiro e sem abrir mão da liberdade sexual. Inclusive, os dois até podem ter até amantes em comum. Casamento não é feito de sexo e paixão – e nem sobrevive disso. Casamento é viver junto, como irmãos, com companheirismo, dividindo contas, problemas e a ausência de solidão. E por se tratar de um casamento, as questões legais, como herança, divisão de contas, divisão de bens e declaração conjunta do IR podem fazer parte dele. Quem quiser adotar filhos também deve ser livre para isso. O que importa é que ambos envolvidos estejam juntos nas dificuldades, na alegrias, na tristeza e que possam confiar um no outro e se dar apoio mútuo.

O vídeo abaixo me inspirou como nenhum outro:


Sobre questões mais íntimas, como dormir na mesma cama, por exemplo, eu disse em outras postagens que a cama de casal é um dos maiores óbices ao bem-estar de um casal. Cama de casal viola a privacidade e a intimidade de cada um. Nesse caso acho que, no mínimo, deveriam dormir em camas separadas. O ideal seria dormir em quartos separados, mas aí vai do gosto de cada um. Cuidar da casa seria uma obrigação de ambos, assim como cozinhar ou trocar as lâmpadas. Não haveria aquela imposição heteronormativa de que o homem faz isso e a mulher tem que fazer aquilo. Cada um pode ter seu próprio papel após negociarem juntos. Sobre beijos e abraços, eles podem até existir, desde que não tenham teor sexual e que não sejam na boca, naturalmente. Você não faria nada que também não faria com seu irmão ou irmã. E sobre sexo, só para justificar porque é melhor não tê-lo em casamentos, deixo as palavras que o Dr. Asmodeu usou no seu blog:

"As mulheres comuns exigem fidelidade, castração e casamento, ao invés de exigir liberdade, safadeza e orgasmos. Isso, em parte é culpa da sociedade machista que castra psicologicamente as meninas desde a mais tenra infância. Em outra parte é culpa dos casais: seja das próprias mulheres que são medrosas e frescas demais para se abrir para a perversão, ou dos homens que acham que suas mulheres precisam ser santas e merecem respeito até entre quatro paredes."

O Dr. Asmodeu tem tanta razão que a sexóloga Paula Milena resolveu fazer uma palestra ensinando como tornar as mulheres heterossexuais mais sem-vergonhas. Saca só que comédia:


Apesar dessas tentativas rocambolescas de tornar o sexo no casamento algo mais atrativo, o sexo em si não segura e nem salva relacionamento nenhum. Fazer remendos no campo sexual ou afetivo não torna a vida de um casal melhor. A mudança precisa ser radical e na raiz do problema, ou seja: o próprio relacionamento heterossexual.

Links externos para te inspirar: 
-Terra - Casamento é o fim do sexo: 10 razões para não se casar
-Folha de Dourados - Marido anota desculpas da esposa para 'negar fogo'
-Consultório do Dr Asmodeu - A greve dos homens
-Uol Mulher - Casamento sem sexo
-Uol Mulher - Casamento sem sexo é coisa antiga, mas reclamar disso é novidade

0 comentários:

Postar um comentário