domingo, 13 de março de 2016

A queda do PT e a esquerda do futuro


É comum nas redes sociais haver gente me perguntando como eu posso apoiar um governo tão corrupto, mentiroso e incompetente. Sim, eu sei que o PT é tudo isso e até um pouco mais, fato que vai consumar a sua inevitável queda. O problema é que eu não tenho senso de justiça seletivo para olhar apenas para as coisas ruins do governo. O trabalho social que o PT fez pelo Brasil é elogiado mundo afora até hoje. Além do mais, a corrupção não começou no Brasil em 2003 e nem vai terminar com a expulsão do PT do poder. A corrupção vai continuar a todo vapor logo que a Operação Lava Jato deixar as investigações. E tudo vai ser como era antes, com o mesmo roubo, a mesma enganação e a mesma incompetência: só que dessa vez feitas por outro partido. É burrice querer tirar um partido corrupto do poder de forma antidemocrática para colocar outro tão ou mais corrupto ainda no seu lugar. A classe média que foi às ruas no dia 13/03 não representava a população em geral e nem as classes mais pobres: essa classe média representava os interesses da oposição corrupta, da mídia, de velhas instituições reacionárias e de interesses estrangeiros de quem quer colocar as mãos na Petrobrás. Não se iluda: não estamos caminhando para frente, estamos dando vários passos para trás. Eu sei que a maioria das pessoas que compareceu aos protestos é de boa índole e está indignada com razão. Mas essas pessoas estão servindo de massa de manobra.

O desafio da esquerda política nesse ensaio ao retrocesso é continuar dando passos à frente enquanto as camadas superiores da pirâmide social tentam nos empurrar para trás. O pensamento reacionário típico da direita é retrógrado e se fundamenta num passado saudosista que tinha coronéis e generais no poder. Já o pensamento progressista da esquerda quer mudanças para o futuro: para um futuro mais justo e mais digno para todos, e não apenas para os ricos.

O próximo partido de esquerda que um dia chegar ao poder, se é que podemos dizer que o PT é de esquerda, terá que ser incisivo e obcecado por caçar corruptos dentro e fora do seu partido para não ser vítima de escândalos seletivos como o mensalão e o petrolão. E tão importante quanto isso vai ser o rigor necessário para "cortar" todos os tentáculos dos golpistas, sejam Forças Armadas, Ministério Público, Polícia Federal ou a grande mídia. O PT, por burrice ou ingenuidade, conseguiu a façanha de alimentar uma cobra que o mordeu, dando liberdade para instituições democráticas agirem de forma parcial e seletiva. A esquerda do futuro vai ter que ser muito mais dura e incisiva com seus rivais e terá que aproveitar o povo do seu lado para travar uma batalha ideológica e jurídica contra aqueles que sempre conspiraram contra a democracia. A política de conciliação de classes propostas por Lula deu em desastre, mostrando que só há um caminho: o da luta.

Felizmente, em breve, roda da democracia vai girar, porque o capitalismo é autodestrutivo. Logo, logo teremos crises devido ao neoliberalismo e uma classe média desnorteada se perguntando onde errou. E é aí onde a nova esquerda vai fatalmente trazer um novo protagonista para consertar o desastre. Já imaginou como seria um PT honesto e competente? Pois é, o que vier por aí vai ter que ser ainda melhor do que isso. Do contrário, o PIG vai repetir da mesma estratégia de 1954, 1964, 2016...

Precisamos de mais Mandelas e menos Bushs

Para terminar, deixo um vídeo onde Fidel Castro ensina como os EUA passaram a respeitar Cuba, coisa que, infelizmente, o PT não aprendeu.

video

2 comentários: