quinta-feira, 30 de março de 2017

Quando Nietzsche chorou... de rir


Segundo o astrólogo recalcado Olavo de Carvalho, o filósofo Nietzsche era um pobretão sifiliítico que se achava grande coisa por escrever de maneira tragicômica um niilismo barato para pessoas pedantes. Sim, foi esse o resultado resumido de sua pífia e pernóstica análise intelectual sobre Friedrich Nietzsche. O astrólogo da quarta série dessa vez acha que é um filósofo iluminado por alguma retórica freudiana de quinta categoria para decifrar o pensamento de Nietzsche a partir de uma análise mequetrefe e descontextualizada de algumas de suas obras. É bom que seja dito que compreender a fundo Nietzsche não é algo fácil e que vai muito além de uma interpretação literal e linear de seu pensamento.

Ao que me parece, essa tal Olavo é um cristão ressentido que teve a sua fé pseudocristã abalada pelas palavras desconcertantes de Nietzsche e, por isso, se chafurda numa penúria intelectual ao analisá-lo. Lá no fundo, todo mundo sabe que esse Olavo é um invejoso sem o menor gabarito intelectual para criticar um filósofo do calibre de Nietzsche. Algumas de suas críticas são tão desconexas que fica parecendo até que ele está criticando outro filósofo qualquer, tamanho é o desconhecimento do astrólogo sobre o autor.
Essas críticas pueris e amadoras do Olavo seriam uma piada para Nietzsche que, certamente, deve estar se revirando no túmulo de tanto rir de um sujeito bajulado por uma ralé subintelectualizada e que tem coragem de defender coisas antiquadas como o geocentrismo e o criacionismo em pleno século XXI.

Olavo é uma piada ambulante

Portanto, devido às suas limitações acadêmicas, Olavo de Carvalho não tem a menor condição de construir uma crítica mais aprofundada sobre Nietzsche. Que o astrólogo soberba tenha o mínimo de humildade para reconhecer a sua insignificância como crítico.

0 comentários:

Postar um comentário