sábado, 4 de março de 2017

Resident Evil 7 não foi bem o que eu esperava


Sim, eu sei que tem uma porção de coisas relevantes acontecendo neste momento que eu poderia muito bem abordar aqui no blog, tais como a soltura do goleiro Bruno, a questão da apropriação cultural e até o piti do pastor Malafaia contra um selinho gay num desenho da Disney. Mas como não estou com tempo e nem com inspiração para tratar desses assuntos, resolvi falar sobre games, que é um tema mais relax. E o game da vez é o último jogo da série Resident Evil, o tal Resident Evil 7.

Parece que esqueceram dessa turma no RE7

A primeira vez que joguei um game da série Resident Evil foi lá no final dos anos 90 numa locadora de games. O jogo foi o famigerado Resident Evil 2, para Nintendo 64. Eu achei o jogo até bacana, mas não viajei muito nele, não. O que me impressionou mesmo no RE2 foram os gráficos que eram bem sofisticados para a época. No resto, era só mais um jogo de "ação cadenciada", o que fiquei sabendo depois que se chamava de "survival horror".

A série RE foi evoluindo até o seu ápice em 2012

Eu só fui começar a gostar mesmo da série Resident Evil a partir do RE4. Isso porque o jogo tornou-se mais dinâmico, ganhou mais ação e mais adrenalina. Tinha também o modo Mercenaries (Mercenários) que achei sensacional. Apesar de ter jogado pouco o RE4, gostei da proposta do game. Daí que veio o RE5 e virei fã de vez. O melhor Resident Evil, para mim, foi o RE6, porque ele tinha muita ação, a melhor jogabilidade de todas, músicas ótimas, modo Mercenários, vários modos de multiplayer e quatro campanhas diferentes. Apesar da maioria dos fãs do Resident Evil ter odiado o sexto game da série por sua falta de fidelidade ao survival horror, eu simplesmente virei um fã incondicional do game.
Pois bem, então tudo ia bem até surgirem os primeiros trailers do RE7... Quando caiu a ficha que o novo Resident Evil seria realmente daquele jeito, caramba, que decepção!

A grande "maravilha" que é o RE7...

O RE7 é aquele tipo de jogo que eu não quero nem de graça. Não há absolutamente NADA que me interesse naquele jogo. Não tem nenhum personagem clássico da série, o troço é em primeira pessoa, não tem modo Mercenários, não gostei do enredo, não gostei do gameplay, não gostei de nada. A única coisa que se aproveita desse novo game são os gráficos. Respeito quem curtiu o game, mas eu DETESTEI.

Bons tempos de RE...

O que eu queria ver no RE7 era algo mais focado na sobrevivência, semelhante ao Days Gone (ou até ao Last of Us). Também queria ter visto a definição das histórias dos personagens principais e um game que parecesse minimamente com a série. Mas o que vi foi um plágio babélico do Outlast. Espero que pelo menos na série Revelations e em outros spin-offs da série a Capcom traga algo mais parecido com a saga original. Aliás, não é a primeira vez que a Capcom faz cagadas com seus jogos clássicos, Street Fighter 5 que o diga...

Tomara que o RE8 seja mais ou menos assim

Enfim, só queria externar a decepção que este novo game da série me trouxe.

0 comentários:

Postar um comentário